IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Novo Boeing 787 será apresentado oficialmente neste domingo

06/07/2007 19h03

SEATTLE, EUA, 6 Jul 2007 (AFP) - Os olhos da indústria aeronáutica estarão voltados neste domingo para o lançamento do novo modelo 787 Dreamliner da Boeing, o avião 'verde' que deve revolucionar as viagens aéreas. A apresentação da novidade será perto de Seattle (noroeste dos Estados Unidos).

As virtudes da nova aeronave já convenceram 46 clientes a adquirir mais de 640 unidades ao todo, encomendados antes do lançamento mundial do bimotor para trajetos médios. A capacidade varia entre 210 e 330 passageiros.

A Boeing, que decidiu lançar o avião depois de 13 anos sem apresentar novidades, fixou como meta de vendas colocar no mercado cerca de 2 mil exemplares até 2023.

Um de seus pontos revolucionários é a substituição, em cerca de 50%, do alumínio, material onipresente até agora na fabricação de aviões. Desse modo, metade do aparelho é feita com materiais compostos, como a fibra de carbono.

"Ao fabricar uma sessão da fuselagem em uma só parte, eliminamos 1.500 lâminas de alumínio entre 40 mil e 50 mil rebites", explicou o construtor.

Segundo a Boeing, os componentes são mais resistentes e duráveis e permitem também uma redução do peso, o que se reflete em uma redução do consumo de combustível do 787.

O 'Dreamliner', "tem condições de vôo comparáveis a outros aviões do mesmo tamanho e consumirá 20% menos combustível" do que modelos semelhantes atualmente no mercado, o que traz benefícios para o meio ambiente, afirma a empresa.

A Boeing diz que seu novo produto permite uma redução de um terço dos custos de manutenção.

Entre as inovações do 787 estão um sistema de comando elétrico (em substituição ao tradicional sistema hidráulico), mais conforto na cabine, janelas maiores e uma pressurização mais úmida do que nos modelos atuais.

O lançamento oficial do 787 será na sede da Boeing em Everett, 40 quilômetros ao norte de Seattle (Estado de Washington), às 15H30 (22H30 GMT) deste domingo, e contará com a presença de cerca de 300 jornalistas da mídia americana e internacional.

Um dos 787 começará seus vôos de teste no próximo outono (no Hemisfério Norte) e a companhia japonesa ANA, que fez seu pedido em 2004, planeja operar seus 'Dreamliners' já em 2008.

O 787, que começará sua carreira comercial alguns meses depois do A380, o avião gigante da Airbus, prepara uma estratégia oposta à de seu concorrente para alcançar o mesmo objetivo de redução de custos.

O A380, que em uma de suas versões terá capacidade para mais de 800 passageiros, será usado para ligar grandes aeroportos, enquanto o 'Dreamliner' tem como função a ligação de cidades de médio porte, com versões capazes de transportar entre 210 e 330 passageiros.

A Boeing comemora os 642 pedidos, feitos por 46 empresas aéreas.

Seu preço de catálogo oscila entre 146 e 200 milhões de dólares e promete até 15.750 quilômetros de autonomia, o que permite vôos sem escalas entre Nova York e Manila ou entre Moscou e São Paulo, por exemplo.

A empresa classificou o 787 como o "melhor lançamento de um avião comercial da história". A rival européia Airbus reagiu remodelando seu A350, que concorrerá diretamente com o 787.

Mais Economia