PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Bilionários

Bilionário chinês compra tigela da dinastia Ming por US$ 36 milhões

8.abr.2014 - Nicolas Chow, vice-presidente da Sotheby"s Asia, mostra uma tigela da dinastia Ming, vendida nesta terça-feira (8) por US$ 36,05 milhões, um novo recorde mundial para a porcelana chinesa - Bobby Yip/Reuters
8.abr.2014 - Nicolas Chow, vice-presidente da Sotheby's Asia, mostra uma tigela da dinastia Ming, vendida nesta terça-feira (8) por US$ 36,05 milhões, um novo recorde mundial para a porcelana chinesa Imagem: Bobby Yip/Reuters

08/04/2014 08h28

HONG KONG, 08 Abr 2014 (AFP) - Um bilionário chinês comprou nesta terça-feira (8) em Hong Kong um tigela da dinastia Ming por US$ 36,05 milhões (R$ 79,42 milhões) , um novo recorde mundial para a porcelana chinesa, anunciou a casa de leilões Sotheby's.

A pequena tigela com desenhos policromáticos sobre o fundo branco é considerada extremamente rara. Foi fabricada na era Chenghua (1465-1487).

Um galo vermelho, uma galinha e seus pintinhos aparecem no objeto em um jardim de rosas vermelhas e açucenas amarelas, que tem o esmalte e verniz intactos.

A taça é "o Graal da arte chinesa", afirmou Nicolas Chow, vice-presidente da Sotheby's Asia, ao informar que foi adquirida pelo bilionário de Xangai Liu Yiqian.

O ex-taxista que se dedicou ao mundo das finanças é um dos multimilionários chineses que percorrem as salas de leilões de todo o mundo e elevam os preços. Agora constroem museus para suas coleções.

Liu Yiqian, 50, fez fortuna ao especular na jovem Bolsa de Xangai nos anos 90. Atualmente preside um gigantesco conglomerado industrial e sua fortuna foi avaliada em US$ 1,6 bilhão.

Ele fundou dois museus e seu nome está associado desde setembro à compra, por US$ 6 milhões, de um rolo de caligrafia que é objeto de uma disputa entre especialistas sobre a autenticidade.

A obra - nove ideogramas com tinta preta que significam "Su Shi apresenta seu respeitoso adeus a Gong Fu, cavalheiro conselheiro na corte" - é aparentemente uma cópia tardia, segundo os especialistas, que apontam alguns traços de pincel "torpes".

Liu mantém a reivindicação da autenticidade do rolo, que a Sotheby's vendeu em Nova York.

O recorde anterior para a porcelana chinesa foi estabelecido em 2010 para um jarro Qianlong vendido por US$ 32,58 milhões.

Bilionários