Tesla: piloto automático estava em excesso de velocidade em acidente fatal

Washington, 26 Jul 2016 (AFP) - O carro elétrico da Tesla que se chocou contra um caminhão no estado americano da Flórida enquanto funcionava no piloto automático, matando o motorista no seu interior, estava em excesso de velocidade no momento do impacto, revelou uma investigação preliminar na terça-feira.

A agência americana de segurança viária, a National Transportation Safety Board (NTSB), anunciou que os resultados preliminares da sua investigação mostraram que o veículo, um Model S da Tesla, estava viajando a 119 km/h antes do impacto, acima do limite de velocidade, de 105 km/h.

A NTSB observou, porém, que os investigadores ainda não completaram a análise dos dados sobre o acidente nem determinaram a causa da colisão fatal.

"Todos os aspectos do acidente permanecem sob investigação", informou a agência em um comunicado.

No acidente fatal, que ocorreu em 7 de maio, nem o motorista nem o sistema de piloto automático conseguiram detectar a manobra de um caminhão que cruzou com o veículo, de modo que os freios não foram acionados.

A tragédia aumentou as preocupações sobre a segurança no setor de rápido crescimento da tecnologia de condução autônoma.

A NTSB disse que os recursos de assistência ao condutor estavam ativados, assim como o sistema de freio de emergência automático, concebido para evitar ou amortecer uma colisão frontal.

No início deste mês, a Tesla reconheceu o acidente e disse que os sensores do veículo falharam em detectar a lateral branca do caminhão, visto que esta refletia a luz do sol.

Alguns relatórios apontaram que o motorista podia estar assistindo a um DVD no momento do acidente, ignorando o aviso da Tesla para manter-se vigilante durante a utilização do sistema de piloto automático.

A empresa disse que o sistema de piloto automático, lançado no ano passado, não é um sistema totalmente autônomo e que os motoristas são alertados de que eles precisam estar ao volante e no controle.

O sistema de piloto automático da Tesla permite que o veículo mude automaticamente de pista, controle a velocidade e freie para evitar uma colisão. A função é ativada pelo condutor, e pode ser substituída por ele.

Os defensores dos veículos autônomos dizem que, apesar da fatalidade de maio, a tecnologia vai evitar uma alta percentagem de acidentes que são atribuídos a erros humanos.

A maioria dos grandes fabricantes de automóveis também estão desenvolvendo ou prospectando carros autônomos.

No início do mês, a fabricante alemã BMW anunciou na sexta-feira que vai unir esforços com a gigante americana de microprocessadores Intel e a empresa de tecnologia israelense Mobileye para produzir veículos totalmente automatizados em 2021.

A sul-coreana Kia se comprometeu a produzir um carro autônomo até 2020, a americana General Motors planeja testar essa tecnologia com a gigante do serviço de transporte compartilhado Lyft, e o Google já lançou e começou a testar seu protótipo de carro sem motorista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos