Fed mantém taxa de juros apesar da redução de riscos

Washington, 27 Jul 2016 (AFP) - O Federal Reserve (Fed) decidiu nesta quarta-feira deixar sua taxa de juros inalterada, embora tenha estimado que os riscos que pesam sobre a economia americana diminuíram.

Ao final de uma reunião de dois dias, seu Comitê de Política Monetária (FOMC) não manifestou uma inquietação particular em relação ao Brexit e insistiu sobre o "fortalecimento" do mercado de trabalho.

"O mercado de trabalho se fortaleceu e a atividade econômica avançou a um ritmo moderado", indica o FOMC em seu comunicado final, acrescentando que a criação de empregos foi "forte" em junho depois de cair em maio, estimulando dúvidas sobre a consistência da recuperação.

Na primeira reunião depois da votação britânica para sair da União Europeia, o Fed se mostrou bastante tranquilizador e parece sugerir que o eventual impacto sobre os Estados Unidos será modesto.

Igualmente continuará supervisando "a evolução da situação econômica e financeira mundial", mas considera principalmente que os "riscos a médio prazo para as perspectivas econômicas diminuíram".

Consequentemente, este diagnóstico relativamente otimista poderá abrir caminho a uma possível alta dos juros na reunião do Fed de 20 e 21 de setembro, após o aumento em dezembro do ano passado, que pôs fim a sete anos de política de taxa zero.

A taxa de juros básica dos EUA, que determina o custo do crédito, se manterão dentro das margens atuais (entre 0,25 e 0,50%).

Um dos 10 membros do FOMC, Esther George, se opôs a esse status quo, e foi favorável a um aumento dos juros a partir de agora, informou o comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos