Bolsas

Câmbio

Press Release from Business Wire : Schlumberger Limited

LONDRES, (BSW) - A Schlumberger Limited (NYSE:SLB) comunicou hoje os resultados do segundo trimestre de 2016.

-0- *T (Apresentação em milhões, exceto por quantidade de ações) Três meses encerrados em Alteração 30 de junho de 2016 31 de março de 2016 30 de junho de 2015 Sequencial De um ano para outro Receita US$ 7.164 US$ 6.520 US$ 9.010 10% ** -20% Lucro operacional antes dos impostos US$ 747 US$ 901 US$ 1.708 -17% -56% Margem operacional antes dos impostos 10,4% 13,8% 19,0% -340 bps -854 bps Receita líquida (perda) (base GAAP) US$ (2.160) US$ 501 US$ 1.124 -531% -292% Receita líquida, excluindo-se encargos e créditos* US$ 316 US$ 501 US$ 1.124 -37% -72% EPS diluído (perda por ação) (base GAAP) US$ (1,56) US$ 0,40 US$ 0,88 -490% -278% EPS diluído, excluindo-se encargos e créditos* US$ 0,23 US$ 0,40 US$ 0,88 -43% -74% *Estas são medidas financeiras não GAAP. Veja a seção intitulada "Encargos e créditos" para detalhes. **A receita total, excluindo os efeitos da aquisição da Cameron, que terminou em 1.º de abril de 2016, diminuiu 14% sequencialmente e 38% ano a ano. *T

O presidente e CEO da Schlumberger, Paal Kibsgaard comentou: "No segundo trimestre, as condições do mercado pioraram ainda mais na maior parte de nossas operações globais, mas apesar dos ventos contrários contínuos que agora parece ter atingida fase mais baixa do ciclo. Enquanto continuamos a navegar neste ambiente desafiador, mais uma vez apresentamos um lucro operacional antes dos impostos, margem operacional e fluxo de caixa livre robustos. Este desempenho veio como resultado do nosso forte desempenho e, em alguns casos, à custa de receitas à medida que começamos a mudar o foco para recuperar as nossas concessões tarifárias e melhorar a qualidade de nosso portfólio de contratos.

"Nossa receita no segundo trimestre aumentou 10% sequencialmente, o que reflete um trimestre completo de atividade do negócio adquirido da Cameron que contribuiu com US$ 1,5 bilhão em receitas. Em uma base pro forma, a receita diminuiu 12% sequencialmente com a América do Norte caindo 20% devido à desaceleração de primavera canadense e uma queda de 25% na contagem de sondas de terra nos EUA, enquanto a receita internacional diminuiu 9% devido à atividade mais baixa, pressão contínua sobre os preços e uma redução em grande escala nas nossas operações na Venezuela. No entanto, a nossa ampla presença geográfica e ampla carteira de tecnologia continuaram a oferecer vantagens únicas que ajudaram a atenuar esses efeitos.

"Dentre os segmentos de negócio, as receitas no primeiro trimestre dos grupos de caracterização de reservatório e produção caíram sequencialmente 9% e 11%, respectivamente, com uma menor demanda contínua por produtos e serviços relacionados à exploração e desenvolvimento, enquanto os orçamentos de E&P foram reduzidos ainda mais. A receita do grupo de perfuração caiu 18%, impactado pela queda acentuada na contagem de sondas, particularmente no Norte e América Latina. A receita do Grupo Cameron diminuiu 6% sequencialmente em uma base pro forma, devido à diminuição da carteira de projetos e um novo abrandamento da atividade em terra dos EUA, que impactou os negócios de ciclo curto.

"A margem operacional antes dos impostos foi mantida acima de 10% após uma queda sequencial de 340 pontos-base, devido à menor atividade, ventos contrários aos preços, um mix de atividade desfavorável e a redução significativa de nossas operações na Venezuela. A margem operacional decremental em uma base sequencial pro forma foi limitada a 38%, como resultado da gestão sólida de custos e de recursos, ao mesmo tempo em que continuamos a manter a nossa capacidade de longo prazo. A redução da margem foi maior no grupo de perfuração, onde a margem contratada aumentou 649 pontos-base (Basis points, bps) chegando a 8%. Sequencialmente, a margem operacional antes dos impostos do grupo de produção caiu 459 bps chegando a 4%, o grupo de caracterização de reservatórios diminuiu 228 bps para 17%, e o Grupo Cameron postou uma margem de 16%. Lucro diluído por ação de US$ 0,23, excluindo encargos e créditos, foi 43% menor sequencialmente.

"Como resultado da debilidade na atividade, que irá persistir até 2016 como esperado, fizemos outro ajuste significativo na nossa base de custos e de recursos, incluindo a demissão de mais de 16.000 empregados durante o primeiro semestre de 2016 e uma maior racionalização da nossa força de trabalho, infraestrutura e base de ativos. Isto levou a US$ 646 milhões em despesas de reestruturação no segundo trimestre para a redução da força de trabalho, bem como a despesa de US$ 1,9 bilhão, não monetária, de desvalorização de ativo imobilizado, estoque e dados sísmicos multiciente. Também reconheceu US$ 335 milhões em encargos de fusão e integração relacionados com a aquisição da Cameron.

"À medida que a crise se desenvolveu, nós mudamos nosso foco de gestão de margens decrementais para reforçar ainda mais a quota de mercado, onde temos visto um aumento significativo nos concursos ganhos. Como o preço do petróleo quase dobrou a partir de seus pontos baixos de janeiro de 2016, agora estamos mudando nosso foco para recuperar as concessões de preços temporários que foram feitas, e para renegociar contratos com compromisso limitado de viabilidade financeira no longo prazo.

"Ao mesmo tempo, os efeitos dos cortes que temos visto nos gastos de E&P são agora claramente visíveis na produção de petróleo em queda, e com a demanda permanecendo forte, estamos caminhando mais rapidamente para uma crescente diferença negativa entre a oferta e a demanda global por petróleo. Isso vai exigir habilidade e capacidade significativas para inverter e, sem recuperação dos preços, a indústria de serviços enfrentará dificuldades para operar.

"Como já passamos esta crise, temos feito uma série de movimentos que nos posicionam bem para a inevitável recuperação do mercado. Nosso balanço permanece forte, apesar dos investimentos que fizemos em nosso negócio e o dinheiro que temos devolvido aos nossos acionistas. Expandimos nosso portfólio de tecnologia, não só pela importante aquisição da Cameron International, mas também por uma série de aquisições menores que estão possibilitando o desenvolvimento de novas tecnologias de perfuração e produção integradas que melhorem o menor custo por barril. E temos alavancado as oportunidades de transformação para criar uma vantagem competitiva significativa e melhorar constantemente o nosso desempenho intrínseco.

"Qualquer que seja a forma que leve a recuperação, os preços dos serviços devem crescer respeitando a necessidade dos operadores de controlar os seus custos no qual provavelmente será um ambiente de preço do petróleo de médio para mais. Isso fornece uma oportunidade de compartilhar o valor adicional que pode ser mutuamente criado através da colaboração e integração. Vamos, portanto, continuar a desenvolver a maneira em que operamos como uma empresa, bem como a natureza do trabalho que nos propomos, garantindo que permanecemos na vanguarda de uma indústria que precisa cada vez mais uma mudança fundamental".

Demais eventos

Durante o trimestre, a Schlumberger efetuou a recompra de 0,4 milhão de ações ordinárias a um preço médio de US$ 72,77 por ação, totalizando um preço de compra de US$ 31 milhões.

Em 1.º de abril de 2016, a Schlumberger concluiu sua fusão com a Cameron International Corporation (Cameron). A transação une dois portfólios complementares de tecnologia em uma oferta de produtos e serviços "do poço ao oleoduto". A fusão gerará crescimento impulsionado pela tecnologia ao integrar o conhecimento em reservatório e poço da Schlumberger com os equipamentos de cabeça de poço e superfície, controle de fluxo e tecnologia de processamento da Cameron. Esta combinação resultará nos primeiros sistemas completos de perfuração e produção do setor, graças ao conhecimento e à experiência da Schlumberger em instrumentação, processamento de dados, software de controle e integração de sistemas.

Em 1.º de junho de 2016, a Schlumberger anunciou a aquisição da Saltel Industries, uma empresa de engenharia, fabricação e serviço que oferece correções expansíveis e embaladores de aço para a indústria de petróleo e gás. Essas tecnologias serão integradas em produtos e serviços dentro do grupo de produção.

Em 2 de junho de 2016, a Schlumberger anuncia a aquisição da Omron Oilfield and Marine, Inc. (Omron Oilfield). A Omron Oilfield projeta, fabrica, vende e presta serviços de pós-venda para os sistemas automatizados de acionamento e controle, usinas de energia e cabines de perfuradores. A empresa espera que essa aquisição acelere uma série de projetos de construção de poços Schlumberger e produção, incluindo projetos futuros da plataforma terra.

Em 23 de junho de 2016, a Schlumberger fechou a aquisição das unidades de perfuração flexitubo e de tubulação enrolada da Xtreme Drilling and Coil Services Corp. (Xtreme). A Xtreme opera unidades de perfuração flexitubo na Arábia Saudita.

Em 20 de julho de 2016, o Conselho Diretor da empresa aprovou o dividendo trimestral em espécie de US$ 0,50 por ação das ações ordinárias em circulação, a pagar em 14 de outubro de 2016 aos acionistas registrados em 7 de setembro de 2016.

Receita geográfica

A receita do segundo trimestre de US$ 7,2 bilhões de dólares aumentou 10% sequencialmente com a receita da América do Norte e internacional aumentando 19% e 8%, respectivamente. Isto incluiu um trimestre completo de atividade do negócio adquirido da Cameron, o que contribuiu receita de US$ 0,6 milhão na América do Norte e US$ 1,0 bilhão internacionalmente.

-0- *T (Apresentação em milhões) Conforme relatado Três meses encerrados em Alteração 30 de junho de 2016 31 de março de 2016 Sequencial América do Norte $ 1.737 $ 1.464 19 % América Latina 1.007 1.280 -21 % Europa/CEI/África 1.948 1.698 15 % Oriente Médio e Ásia 2.404 2.002 20 % Eliminações e outros 68 77 $ 7.164 $ 6.520 10 % Receita da América do Norte $ 1.737 $ 1.464 19 % Receita internacional $ 5.359 $ 4.979 8 % A tabela e os comentários a seguir são apresentadas em base pro forma assumindo que a Cameron foi adquirida em 1.º de janeiro de 2016. (Apresentação em milhões) Pro forma - incluindo Cameron no primeiro trimestre de 2016 Três meses encerrados em Alteração 30 de junho de 2016 31 de março de 2016 Sequencial América do Norte $ 1.737 $ 2.165 -20 % América Latina 1.007 1.353 -26 % Europa/CEI/África 1.948 2.096 -7 % Oriente Médio e Ásia 2.404 2.456 -2 % Eliminações e outros 68 79 $ 7.164 $ 8.148 -12 % Receita da América do Norte $ 1.737 $ 2.165 -20 % Receita internacional $ 5.359 $ 5.905 -9 % *T

América do Norte

A receita pro forma na América do Norte diminuiu 20% sequencialmente, como resultado da desaceleração da primavera canadense e uma queda de 25% na contagem de sondas de terra nos EUA. As receitas de terra caíram 22% sobre a atividade menor nos grupos de perfuração e Cameron, combinado com a contínua pressão sobre os preços no grupo de produção. Enquanto as contagens estágio de fraturamento e frotas de bombeamento por pressão ativos aumentaram mais de 15% sequencialmente, um mix desfavorável de trabalho e tecnologia, combinado com a pressão de preços, mais do que compensou o aumento de volume. As receitas com offshore da América do Norte diminuíram 17%, principalmente devido à menor atividade do grupo de perfuração, embora esta tenha sido parcialmente compensada por maiores taxas de licença sísmicos multiciente WesternGeco.

Áreas Internacionais

A receita internacional pro forma declinou 9% sequencialmente devido a cortes de orçamento de clientes, pressão contínua sobre os preços, interrupções de atividade e com o retrocesso das operações na Venezuela.

A receitas pro forma naárea América Latinadeclinou 26% sequencialmente, principalmente devido à redução das operações na Venezuela. A atividade no resto da área continuou a diminuir, particularmente nos geomercados do México e América Central, e Brasil, enquanto a contagem de sondas de terra e offshore diminuiu devido às restrições orçamentais dos clientes. Além disso, o trabalho de projeto integrado diminuiu no México com o fim da campanha e sondas foram desmobilizadas. O grupo de perfuração viu a maior queda na área, enquanto o declínio na receita grupo de produção foi parcialmente compensado por robustas operações Schlumberger Production Management (SPM).

A receita pro forma daárea Europa/CEI/Áfricadiminuiu 7% sequencialmente, principalmente nos geomercados da Nigéria e Golfo da Guiné, Central e África Ocidental e Angola, onde a contagem de sonda diminuiu e projetos finalizaram. A receita do geomercado da Noruega e Dinamarca diminuiu devido a paradas sazonais para manutenção. A receita da Rússia e da Ásia Central aumentou, enquanto a atividade se recuperou após a desaceleração do inverno e o rublo russo reforçado.

A receita pro forma daárea Oriente Médio e Ásiadeclinou 2% sequencialmente. Isto foi principalmente devido à menor atividade na região dos geomercados da Ásia Pacífico e Austrália e Papua Nova Guiné e, como resultado de cortes no orçamento do cliente e conclusões do projeto, com o grupo de perfuração mais afetado por este declínio. No entanto, a receita do geomercado da China aumentou com uma maior atividade do Grupo Cameron. A receita do geomercado do Oriente Médio foi essencialmente plana, com o aumento da atividade dos grupos de Produção e Caracterização de Reservatórios compensada por concessões de preços.

-0- *T Grupo de caracterização de reservatórios (Apresentação em milhões, exceto porcentagens de margem) Três meses encerrados em Alteração 30 de junho de 2016 31 de março de 2016 30 de junho de 2015 Sequencial De um ano para outro Receita $ 1.593 $ 1.747 $ 2.510 -9 % -37 % Lucro operacional antes dos impostos 266 331 655 -20 % -59 % Margem operacional antes dos impostos 16,7 % 19,0 % 26,1 % -228 bps -943 bps Margem operacional decremental 43 % 42 % *T

A receita do grupo de caracterização de reservatórios foi de US$ 1,6 bilhão, sendo 80% provenientes de operações internacionais. A receita foi 9% menor sequencialmente, principalmente devido à redução de operações na Venezuela e cancelamentos de projetos que impactaram a atividade de wireline internacionalmente. A receita de serviços de teste e vendas de software de soluções integradas (Software Integrated Solutions, SIS) também diminuiu, especialmente na América Latina. Essas quedas foram parcialmente compensadas pelo aumento das vendas de licença de vários clientes sísmicos no Golfo do México dos EUA e taxas de transferência no geomercado do Brasil e área Europa/CEI/África.

A margem operacional antes de impostos de 17% diminuiu 228 pontos-base (bps) sequencialmente devido à redução de wireline de alta margem e atividades de serviços de teste, particularmente na América Latina. Esses efeitos, no entanto, foram parcialmente compensados por maior rentabilidade em WesternGeco com taxas de vendas de licença e de transferência multiciente sísmicos superiores, embora a margem decremental permaneça elevada porque o Grupo manteve os recursos e experiência petrotécnica de longo prazo.

O desempenho do grupo de caracterização de reservatórios foi impulsionado por uma série de benefícios de serviços integrados, implementações de tecnologia, iniciativas de transformação e novas adjudicações de contratos durante o trimestre.

No offshore da Noruega, a Gestão de Serviços Integrados (Integrated Services Management, ISM) usou uma combinação de tecnologias de perfuração e acabamento de OMV Norge para perfurar uma avaliação horizontal de poço no Mar de Barents. A tecnologia de Perfuração e Medições GeoSphere* de mapeamento de reservatório permitiu a localização ideal durante a perfuração do poço no reservatório usando medições eletromagnéticas direcionais profundas. A eficiência de perfuração foi melhorada usando diamante elemento cônico Stinger* e o robusto sistema dirigível rotativo PowerDrive Xceed* enquanto serviços Geoservices Drilling Analyst* permitiu a integração de medições de superfície e fundo de poço para otimizar o processo de perfuração, mitigar riscos e reduzir o tempo improdutivo. O lubrificante M-I SWACO STARGLIDE* possibilitou uma redução de atrito reforçada enquanto o sistema ENVIROUNIT* de tratamento de água despejada em offshore garantiu o cumprimento das normas ambientais. Além disso, o sistema perfurante orientado transmitido por tubulação Testing Services OrientXact* minimizou danos de perfuração, fornecendo estabilidade durante o levantamento e depleção. Como resultado, o cliente se beneficiou de uma seção de 461 m de poço que fornece caudais elevados sob levantamento mínimo.

Offshore do Canadá, a Schlumberger concluiu a primeira fase de um contrato de ISM para a Statoil no ambiente de águas profundas da bacia Flemish Pass. A fase incluiu nove poços de exploração e avaliação com um total de 24.000 m perfurados em mais de 19 meses, sem ocorrência de incidentes de saúde, segurança ou ambientais durante as 12.000 horas de funcionamento. A integração e coordenação de várias tecnologias da Schlumberger melhorou a eficiência de perfuração, garantiu a integridade do poço, otimizou a localização do poço, e desempenhou um papel significativo nas duas descobertas feitas pela Statoil durante esta campanha. Um poço estabeleceu uma taxa líquida de registro de penetração de 190,1 m/h, enquanto outro poço que foi perfurado em águas com uma profundidade de 2.829 m foi o mais profundo para o offshore do Canadá e Statoil globalmente. O cliente se beneficiou de ISM, completando o projeto até a data prevista, apesar dos desafios relacionados com o clima, e incluiu várias das seções de 33 buracos entre as suas performances de perfuração de topo em todo o mundo.

To view the full text, please visit http://www.afp.com/afpcom/pt/content/partners/bsw/saturday/20160729005936r1

Contact

Schlumberger Limited Simon Farrant - Schlumberger Limited, vice-presidente de relações com investidores Joy V. Domingo - Schlumberger Limited, gerente de relações com investidores Escritório +1 (713) 375-3535 investor-relations@slb.com

This material is not an AFP editorial material and AFP shall not bear responsability for the accuracy of its content. In case you have any questions about the content, kindly refer to the contact person mentioned in the text of the release.

End of the Business Wire's Press Release

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos