Bolsas

Câmbio

Wall Street: Trump gera recorde no Dow Jones e queda no Nasdaq

Nova York, 10 Nov 2016 (AFP) - O índice industrial Dow Jones disparou com um fechamento recorde nesta quinta-feira (10), impulsionado pela vitória de Donald Trump, mas o Nasdaq caiu pelas debilidades de empresas tecnológicas, como Apple e Amazon.

Analistas disseram que o recuo do Nasdaq resultou de uma aposta em outros setores e pelo fato de muitos investidores temerem que Trump faça mudanças que prejudiquem as empresas do setor.

O Dow Jones subiu 1,17%, situando-se nos 18.807,88 pontos, um valor de fechamento nunca alcançado. O Nasdaq cedeu 0,81%, nos 5.208,80 pontos, e o S&P 500 ganhou 0,20%, nas 2.167,48 unidades.

"Há muito dinheiro que foi para setores que provavelmente se beneficiarão com Donald Trump como presidente dos Estados Unidos", comentou o diretor de Investimentos da Hinsdale Associates, Bill Linch.

As ações dos bancos subiram: JPMorgan Chase ganhou 4,6%; o Bank of America, 4,4%; e o Wells Fargo, 7,6%.

A farmacêutica Pfizer avançou 4,3%, e a Caterpillar, gigante de maquinário pesado, valorizou-se 2,5%.

A tendência de alta dessas companhias começou na quarta-feira, após a vitória de Trump. O líder republicano quer aquecer a economia americana mediante a eliminação de regulamentação, redução de impostos e estímulos ao investimento em infraestrutura.

O analista de mercado Art Hogan, da Wunderlich Securities, apontou que as propostas de Trump na campanha geraram preocupação no setor tecnológico.

"A retórica sobre as grandes companhias tecnológicas foi de neutra a negativa", lembrou.

"Se nos remetermos a essa retórica mais protecionista, isso não ajuda quem fabrica muitos de seus produtos no exterior, ou as empresas que estão deslocando para empresas menores", afirmou Hogan.

Ele disse ainda que vários executivos do Vale do Silício manifestaram abertamente seu apoio à democrata Hillary Clinton na corrida pela Casa Branca. Além disso, Trump atacou diretamente a Apple, quando a empresa se negou a cooperar com o FBI para "invadir" um iPhone durante uma investigação de terrorismo.

Trump ainda atacou a Amazon por suas práticas comerciais e criticou o presidente da empresa, Jeff Bezos - que também é dono do jornal The Washington Post, que criticou Trump na campanha.

Apple perdeu 2,8%; a Amazon, 3,8%; a Alphabet (Google), 2,9%; o Facebook, 1,9%; a Microsoft, 2,4%; e o Netflix, 5,5%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos