Bolsas

Câmbio

Temer anuncia medidas de estímulo contra desemprego

Brasília, 15 dez 2016 (AFP) - O presidente Michel Temer anunciou nesta quinta-feira um pacote de medidas microeconômicas para combater o desemprego, em meio à profunda recessão e aos escândalos de corrupção que ameaçam os membros do governo.

"São medidas para aumentar a produtividade do país e, em consequência, combater o desemprego", afirmou Temer na entrevista coletiva concedida em Brasília, ao lado do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e dos presidentes do Senado e da Câmara, Renan Calheiros e Rodrigo Maia.

As medidas incluem a regularização de dívidas tributárias de empresas e pessoas físicas, incentivo ao crédito imobiliário, facilidades de crédito para pequenas e médias empresas, revisão da remuneração do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a eventual redução dos juros no pagamento com cartões de crédito.

Temer prometeu uma "desburocratização" do processo para o pagamento de impostos, que no Brasil exige das empresas um "tempo excessivo" devido à burocracia.

Os anúncios para promover a economia chegam após o Congresso congelar os gastos públicos durante 20 anos, como parte das medidas de austeridade traçadas por Temer.

O próximo passo é a reforma da previdência, que prevê, entre outras medidas, a elevação da idade mínima para a aposentadoria. A reforma - criticada pelos sindicatos - deve enfrentar resistência no Congresso e despertar o descontentamento popular.

No momento, o desemprego afeta quase 12 milhões de pessoas no Brasil, 11,8% da população ativa.

Temer, que assumiu o poder em agosto, após o impeachment de Dilma Rousseff, tem seu governo sacudido pelo escândalo de corrupção da Petrobras.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos