Bolsas

Câmbio

Peru: Kuczynski nega ter recebido dinheiro da Odebrecht quando era ministro

Lima, 22 dez 2016 (AFP) - O presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski, negou ter recebido dinheiro quando era presidente do Conselho de Ministros no governo de Alejandro Toledo (2001-2006) e disse ser favorável a uma investigação à denúncia de subornos da Odebrecht no Peru entre 2005 e 2014.

"Eu posso garantir que não recebi nada, nem sei de nada. Obviamente deve-se investigar tudo isso e sou a favor de uma profunda investigação", disse Kuczynski à imprensa.

Ele explicou que as investigações sobre sua gestão quando era primeiro-ministro de Toledo foi arquivada.

"Se deram conta de que eu só havia assinado uma lei do congresso, isso não é crime", ressaltou.

No dia 14 de dezembro, o procurador Martín Salas decidiu reabrir a investigação na qual incluiu Kuczynski por supostamente favorecer a Odebrecht a ganhar uma concessão. O caso havia sido encerrado em setembro.

O presidente disse que a Procuradoria terá que investigar exaustivamente após a divulgação de documentos em que a Odebrecht admite ter realizado subornos no Peru (2005-2014) por aproximadamente 29 milhões de dólares.

"Os ex-presidentes Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala que governaram nesses anos (2005-2014) deverão dar explicações. Também tem que ver a quem se pagou".

cm-rc/gm/cc/mvv

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos