Bolsas

Câmbio

Renault usou 'estratégias fraudulentas' para manipular motores

Paris, 15 Mar 2017 (AFP) - O grupo automotivo francês Renault utilizou durante 25 anos "estratégias fraudulentas" para falsificar os testes de poluição de alguns dos seus motores, e a direção estava envolvida no esquema, afirmou a agência francesa antifraudes em um relatório ao qual a AFP teve acesso nesta quarta-feira.

O próprio presidente da Renault, Carlos Ghosn, estaria envolvido neste "Dieselgate" francês, segundo o relatório. "Não foi estabelecida nenhuma delegação de poder" por Ghosn neste caso, segundo a agência, que lhe atribui, portanto, a "responsabilidade" nesta suposta fraude.

A Renault de imediato desmentiu formalmente as acusações da agência antifraudes francesa, segundo afirmou à AFP o vice-presidente da companhia, Thierry Bolloré.

"A Renault não comete fraudes (...) Todos os veículos foram homologados de acordo com a regulamentação em vigor", afirmou por telefone Bolloré, diretor delegado de concorrência da empresa.

sde-tq/mra/aro/jz/pc/db/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos