Separatismo escocês registra recorde, mas sem maioria

Londres, 15 Mar 2017 (AFP) - Atualmente há mais escoceses separatistas do que nunca, mas eles continuam sendo minoria, revela uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira, dois dias depois do anúncio do governo regional de que pretende organizar um segundo referendo sobre a independência.

A chefe de Governo regional escocês, a nacionalista Nicola Sturgeon, anunciou nesta segunda-feira que solicitará permissão ao Parlamento regional para convocar um novo referendo de independência do Reino Unido, depois do realizado em 2014, para dar aos escoceses a opção de continuar ligado à União Europeia depois do Brexit.

Mas, para complicar a equação, a pesquisa realizada também revela que o euroesceticismo é dominante na Escócia.

Segundo o estudo do NatCen sobre o nacionalismo escocês, 46% dos escoceses são partidários da independência, a proporção mais alta registrada desde que essa pesquisa começou a ser realizada em 1999.

Em junho de 2016, 62% dos escoceses votaram a favor que o Reino Unido continuasse na UE. No entanto, a pesquisa do NatCen, realizada entre julho e dezembro desse ano, constata um aumento do euroceticismo de 40% em 1999 a 67%.

"Talvez não seja o melhor momento para o Partido Nacional Escocês (SNP, no poder) deva convocar um segundo referendo", afirma o estudo.

No referendo anterior, 55% dos escoceses rejeitaram a separação.

Segundo os dados de outra pesquisa publicada pelo jornal The Times esta semana, 57% dos eleitores escoceses rejeitam a independência.

at-al.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos