Bolsas

Câmbio

Brasil cresce 1% no primeiro trimestre após dois anos de contração

Rio de Janeiro, 1 Jun 2017 (AFP) - A economia do Brasil registrou crescimento de 1% entre janeiro e março de 2017, após oito trimestres consecutivos de contração, anunciou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) .

O resultado coincide com a expectativa média dos analistas consultados pela agência Bloomberg.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) do país registrou queda de 0,4%, segundo o IBGE.

O PIB do Brasil sofreu uma contração de 3,8% em 2015 e de 3,6% em 2016.

As estimativas do mercado projetam um crescimento por volta de 0,5% este ano.

O presidente Michel Temer já havia celebrado na terça-feira de modo antecipado o "fim da pior recessão da história" do Brasil, apesar de, paradoxalmente, o dado positivo ser divulgado em um momento de receio dos mercados com a grave crise política que deixa o governo encurralado.

Por setores, o aumento trimestral registrou um impressionante crescimento da Agricultura, de 13,4%, graças ao maior volume das colheitas e à boa resistência dos preços das commodities. A indústria cresceu 0,9% e os serviços permaneceram estáveis (0%).

O trimestre de crescimento não configura uma saída oficial da recessão, que para a maioria dos analistas exige dois trimestres consecutivos de expansão.

"Um trimestre não configura uma tendência. A partir de um trimestre é difícil dizer se um quadro se alterou de forma estrutural", explica Mauro Rochlin, professor de macroeconomia da Fundação Getulio Vargas (FGV) no Rio de Janeiro.

Rochlin acredita que vários indicadores marcam uma "tendência de recuperação, embora com bases muito pequenas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos