Bolsas

Câmbio

Iraque inicia grande ofensiva para retomar a província de Kirkuk

Kirkuk, Iraque, 14 Out 2017 (AFP) - As tropas iraquianas iniciaram nesta sexta-feira uma grande ofensiva para retomar as posições controladas pelos combatentes curdos há três anos na rica província petroleira de Kirkuk, sul do país

Em um momento de elevada tensão após a organização em 25 de setembro de um referendo de independência no Curdistão iraquiano, declarado ilegal pelo governo central, milhares de peshmergas (combatentes curdos) foram colocados em alerta para "defender" suas posições.

"As Forças Armadas iraquianas avançam para recuperar seus postos militares tomados em junho de 2014", quando os combatentes curdos (peshmergas) assumiram o controle de posições das forças do governo central em meio ao caos provocado por uma ofensiva rápida dos extremistas, afirmou uma fonte militar que pediu anonimato.

De acordo com esta fonte, as tropas seguem para o sul da província de mesmo nome, que é disputada pelas autoridades curdas e iraquianas.

Assumiram o controle, de acordo com a fonte, nesta sexta-feira de manhã da base 102, ao oeste da cidade de Kirkuk, perto da estrada que leva a Tikrit, "de onde os peshmergas que estavam no local até ontem à noite saíram sem combater".

Nas operações participam as unidades de elite da polícia e das forças antiterroristas, assim como as unidades paramilitares de Hashd Al-Shaabi.

Contactados pela AFP, os porta-vozes do governo iraquiano e de Hashd se negaram a comentar as informações.

O secretário americano de Defesa, Jim Mattis, afirmou que Washington está trabalhando para reduzir a tensão entre Bagdá e as forças curdas, para que ambos se concentrem no combate aos jihadistas.

"Estamos tratando de fazer com que baixem o tom e que avancem sem perder de vista quem é o inimigo, reconhecendo que temos que encontrar uma maneira de avançar".

"Que cada um se mantenha concentrado em derrotar o grupo Estado Islâmico. Não podemos lutar entre nós agora".

- V de vitória -As unidades Hashd, no entanto, publicaram fotos de um de seus membros uniformizado fazendo o V da vitória diante de uma bandeira curda.

Ao mesmo tempo, os curdos afirmam que estão prontos para defender suas posições.

Hemin Hawrami, conselheiro do presidente curdo Masud Barzani, afirmou no que Twitter que "milhares de unidades peshmerga fortemente armadas já estão totalmente mobilizadas em suas posições ao redor de Kirkuk".

As unidades "têm ordens de defender a cidade a qualquer custo", completou.

O governo autônomo do Curdistão afirma há vários dias que as forças iraquianas pretendem conquistar à força os campos de petróleo da região de Kirkuk.

As autoridades locais temem que as forças governamentais espalhadas pelo país em consequência das diversas batalhas contra o grupo Estado Islâmico (EI) voltem suas armas agora contra os peshmergas.

Desde quarta-feira, os curdos estão em alerta. Na quinta-feira eles fecharam estradas de modo preventivo por várias horas.

- Petróleo, aeroporto e base militar -O governo do Curdistão se declarou "alarmado pela concentração de militares iraquianos e do Hashd Shaabi em Bashir e Taz ao sul de Kirkuk", a apenas três quilômetros da frente dos peshmergas".

De acordo com o serviço de inteligência curdo, as forças governamentais têm a "intenção de apropriar-se dos campos de petróleo, de um aeroporto e de uma base militar".

As autoridades centrais iraquianas, por meio da estatal North Oil Company (NOC), administravam o conjunto dos campos de petróleo da província de Kirkuk.

Mas em 2008, os curdos assumiram o controle do campo de Jormala. E em 2014, em meio ao caos criado pela ofensiva do EI, passaram a administrar os campos de Havana e Bay Hasan.

A base mencionada pelas autoridades locais pertence à 12ª divisão do exército do país, que os peshmergas tomaram em junho de 2014, quando expulsaram os soldados pouco depois da queda de Mossul para o EI. P aeroporto fica ao lado.

Os três campos de petróleo da província de Kirkuk proporcionam 250.000 barris diários (bd) dos 600.000 bd de petróleo exportados pela região do Curdistão iraquiano, apesar da oposição de Bagdá.

Perder o controle dos campos resultaria em uma queda importante de arrecadação para a região autônoma.

bur-sbh/feb/acc/ra/fp/cc

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos