Bolsas

Câmbio

Chile: maior mineradora privada demite 3% de seus funcionários

Santiago, 22 Nov 2017 (AFP) - Escondida, no Chile, a maior mina de cobre do mundo, operada pela anglo-australiana BHP Billinton, anunciou nesta quarta-feira (22) a demissão de 3% dos seus funcionários, cerca de 120 pessoas, devido a uma "racionalização" dos mecanismos de produção.

Responsável por quase 5% da produção mundial do metal, Escondida teve uma queda nos lucros de 91% no primeiro semestre deste ano, devido a uma grande greve que paralisou a produção no primeiro trimestre.

O corte inclui supervisores, operadores e pessoal de manutenção. A decisão foi tomada após uma "avaliação crítica sobre sua situação operacional, processos e recursos necessários para cumprir suas atividades produtivas de maneira segura e sustentável", indica a carta divulgada pela companhia.

Escondida registrou entre janeiro e junho um lucro líquido de 50 milhões de dólares, bem menos que os 527 milhões registrados no mesmo período de 2016. A queda refletiu a redução da produção, que ficou em 327.863 toneladas, ante as 539.824 produzidas no primeiro semestre de 2016.

Os funcionários de Escondida começaram a greve em 9 de fevereiro, pedindo melhores condições salariais em um novo acordo coletivo, mas, diante da impossibilidade de alcançar um acordo com a empresa, voltaram ao trabalho após 44 dias, prolongando por outros 18 meses o convênio antigo, seguindo a legislação chilena.

O Chile é o maior produtor global de cobre, com cerca de um terço da produção do mundo, equivalente a 5,6 milhões de toneladas ao ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos