Bolsas

Câmbio

Spotify e chinesa Tencent anunciam aliança no streaming de música

Estocolmo, 8 dez 2017 (AFP) - A maior plataforma de streaming de música, Spotify, e a digital chinesa Tencent anunciaram nesta sexta-feira (8) um acordo de participações cruzadas que deve assegurar a liderança da empresa sueca em uma conjuntura de grande competitividade.

O acordo assinado entre as duas empresas acaba com meses de intermináveis boatos sobre as duras negociações da aquisição do Spotify pela Tencent.

A empresa sueca irá adquirir ações minoritárias recém-emitidas, cujo valor não foi revelado, na Tencent Music Entertainment Group (TME), filial musical do grupo Tencent, e vice-versa, indicaram as duas companhias em um comunicado conjunto.

Paralelamente, a Tencent, que em novembro se tornou o primeiro grupo tecnológico chinês com um valor de 500 bilhões de dólares, superando brevemente o Facebook, investirá no Spotify por meio da compra de ações existentes, segundo a mesma fonte.

"Spotify e Tencent Music Entertainment veem oportunidades significativas no mercado mundial de streaming para todos os usuários, artistas, mas também para os sócios musicais e de negócio", expressou o fundador e diretor do Spotify, Daniel Ek.

"Esta transação permitirá às duas empresas se beneficiar do crescimento mundial da música por streaming", acrescentou.

O diretor do TME, Cussion Pang, expressou sua satisfação de ter selado uma aliança com "a primeira plataforma de música on-line do mundo".

"TME e Spotify vão trabalhar em conjunto para explorar as vias de colaboração com um objetivo comum, o de criar um ecossistema musical dinâmico que seja favorável aos usuários, artistas e produtores de conteúdo", afirmou.

- Competição feroz -Spotify, com 30 milhões de músicas, superou este verão a marca dos 60 milhões de assinantes, consolidando um pouco mais a sua posição de líder do mercado.

O grupo sueco assegura contar com 140 milhões de usuários ativos em 61 países.

É seguido de longe pelo serviço on-line da Apple, com 27 milhões de assinantes no fim de junho, e pelo francês Deeze, terceiro lugar com 6,9 milhões de assinantes no fim de 2016.

A música on-line teve um grande crescimento em 2016 com lucros acima de 60% e 112 milhões de assinantes de serviços pagos de streaming em todo o mundo.

Essa tendência permitiu à indústria da música voltar a crescer nesses dois últimos anos, compensando a contínua baixa das vendas de discos gravados.

Mas os atores do streaming ainda têm dificuldades para encontrar seu modelo econômico, especialmente porque a competição é feroz: depois de Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, a Amazon lançou este ano na França, Itália e Espanha o seu serviço de streaming e download de música, o Amazon Music Unlimited.

gab/cbw/bc/eg/cb

TENCENT HOLDINGS

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos