Bolsas

Câmbio

EUA analisa isentar Brasil de tarifas sobre aço e alumínio

Washington, 21 Mar 2018 (AFP) - Os Estados Unidos consideram isentar Brasil, Argentina e Austrália das tarifas sobre aço e alumínio, e pretendem alcançar uma solução com a União Europeia.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira (21), dois dias antes de os Estados Unidos começarem a aplicar as taxas de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio que entram em seu mercado. Os americanos recebem pedidos de isenção de diversos países.

Os Estados Unidos já isentaram o Canadá - seu maior fornecedor de aço - e o México dessas tarifas durante a renegociação do Nafta, o Acordo de Livre-Comércio da América do Norte.

O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, disse ao Congresso nesta quarta-feira que as isenções de tarifas estão sendo discutidas para a Brasil, Argentina e Austrália.

Responsável por 13% das importações americanas de aço, o Brasil comemorou o gesto de Washington. "É uma boa notícia", disse o presidente Michel Temer em Brasília.

"Estou vendo uma declaração feita pela Casa Branca que o Brasil é um dos países com quem começarão as negociações visando a eventual exceção nas tarifas sobre a importação de aço e alumínio. As novas tarifas - mensagem da Casa Branca - não se aplicarão enquanto estivermos conversando sobre o tema, uma boa notícia", declarou Temer.

Washington e Bruxelas propõem alcançar uma acordo "mutuamente aceitável" sobre suas disputas comerciais, segundo uma nota conjunta do secretário de Comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, e da comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmstroem.

Malmstroem e Ross disseram que "concordaram em começar imediatamente um processo de discussão (...) sobre assuntos comerciais de preocupação comum, incluindo o aço e o alumínio".

O objetivo é alcançar "resultados mutuamente aceitáveis o quanto antes", acrescenta a nota.

Malmstroem avaliou que toda a União Europeia deveria ficar isenta.

- A vez da China -O presidente Donald Trump parece decidido a continuar incendiando os debates comerciais. A Casa Branca anunciou que na quinta-feira serão anunciadas uma série de medidas comerciais contra a China pelo suposto roubo de propriedade intelectual de empresas americanas.

"O presidente anunciará ações que decidiu tomar com base na investigação sobre os esforços chineses, conduzidos pelo Estado e que distorcem o mercado, para forças, pressionar e roubar tecnologia e propriedade intelctual americana", disse o porta-voz Raj Shah.

As medidas protecionistas duras adotadas por Trump trouxeram sinais de uma guerra comercial em todo o mundo. Até legisladores do próprio partido de Trump, assim como grupos empresariais americanos, disseram que essas medidas expõem os Estados Unidos a preços mais altos e represálias comerciais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos