Bolsas

Câmbio

Regulador comercial dos EUA confirma que investiga o Facebook

Washington, 26 Mar 2018 (AFP) - O órgão regulador comercial dos Estados Unidos, a agência FTC, confirmou nesta segunda-feira (26) ter aberto uma investigação sobre a proteção de dados privados no Facebook após o escândalo da Cambridge Analytica.

"A FTC leva muito a sério as preocupantes publicações recentes da imprensa sobre as práticas do Facebook de proteção da privacidade", disse Tim Pahl, diretor do Escritório de Proteção ao Consumidor da organização, citado em nota.

A Cambridge Analytica é acusada de resgatar dados pessoais de 50 milhões de usuários do Facebook, sem seu consentimento, e usá-los para favorecer a campanha presidencial de 2016 de Donald Trump.

"A FTC confirma que abriu uma investigação sobre essas práticas", acrescentou a organização, que normalmente se recusa a comentar suas investigações.

A agência reguladora "está firme e completamente comprometida a utilizar todas as ferramentas à sua disposição para proteger a privacidade dos consumidores".

O organismo especificou que pode agir contra as empresas "que não respeitarem seus compromissos sobre a privacidade, incluído o fato de não respeitar o 'Privacy Shield', ou que estejam envolvidas em ações injustas em detrimento dos consumidores".

O "Privacy Shield", ou Escudo da Privacidade, é um acordo entre Estados Unidos e União Europeia que regula o intercâmbio de dados pessoais com propósitos comerciais.

A FTC acrescentou que as empresas com as quais assinou anteriormente um acordo amistoso "também devem respeitar as obrigações da FTC a respeito da segurança da privacidade e dos dados".

O Facebook firmou um acordo com a FTC em 2011 que deu fim às acusações de que tinha enganado consumidores, dizendo que suas informações pessoais na rede social continuavam sendo privadas, apesar de tê-las compartilhado.

A rede social não conseguiu, apesar das repetidas desculpas de seu CEO Mark Zuckerberg, abafar o escândalo que estourou há dez dias pelas práticas da Cambridge Analytica (CA).

Após ser confirmada a investigação, as ações do Facebook chegaram a cair 6%, mas se recuperaram. Após o fechamento de Wall Street, se recuperou 0,42%, a 160 dólares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos