ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Grupo publicitário WPP investiga seu fundador

04/04/2018 15h12

Londres, 4 Abr 2018 (AFP) - A maior empresa publicitária do mundo, a britânica WPP, anunciou nesta quarta-feira (4) uma investigação independente sobre seu fundador, Martin Sorrell, por "comportamento inapropriado", que, segundo a imprensa, seria relacionado ao uso indevido de fundos da empresa.

"O conselho de administração da WPP nomeou um advogado para executar uma investigação em resposta a acusações de um comportamento inapropriado do senhor Martin Sorrell, diretor-geral da WPP", indicou o grupo em nota.

"A investigação está em curso. As alegações não implicam somas que teriam um impacto na WPP", acrescenta o texto.

O comunicado chega após a publicação nesta terça-feira pelo Wall Street Journal, que cita fontes próximas ao caso segundo as quais o conselho de administração da WPP está investigando se Sorrell utilizou ativos da empresa de forma inadequada.

Uma das fontes garante que o conselho também está investigando as alegações de comportamento inapropriado, sem dar maiores detalhes.

O jornal ainda cita um memorando transmitido aos dirigentes do grupo no qual a empresa alerta que não poderá tornar públicos os detalhes da investigação."A mensagem para nossos funcionários e clientes é que a atividade continua, como sempre", indica.

Sorrell desmentiu qualquer tipo de má conduta.

"Artigos na imprensa falam de uma investigação da WPP sobre alegações de má conduta financeira de minha parte", escreveu Sorrell em nota. "Um escritório de advogados está investigando essa alegação. Eu rechaço-a sem reservas, mas reconheço que a empresa deve investigar", acrescentou.

Sorrell, de 73 anos, fundou a WPP em meados dos anos 80, quando a empresa fabricava produtos de plástico. Graças a diversas aquisições, ela se tornou na líder mundial de publicidade, e Sorrell foi nomeado "sir" pela rainha britânica em 2000.

Mais Economia