PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Temer cede a pressões de caminhoneiros em greve e reduz preço do diesel

27/05/2018 22h39

Brasília, 28 Mai 2018 (AFP) - O presidente Michel Temer cedeu aos caminhoneiros, em greve há uma semana no País, e anunciou neste domingo (27) a redução de 46 centavos no preço do litro do diesel, um ajuste que será mantido por 60 dias.

Em pronunciamento transmitido pela TV, Temer anunciou outras quatro medidas que atendem às reivindicações dos caminhoneiros, que mantêm bloqueios em todo o território nacional, impactando setores de transportes, saúde, educação e alimentos desde a segunda-feira passada.

Apesar da mobilização das Forças Armadas, as intervenções para abastecer postos e aeroportos tiveram efeito limitado.

De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, a média nacional do preço do diesel oscilou de R$ 3,356 em janeiro deste ano para R$ 3,595 em 19 de maio, antes da greve, alcançando um pico de R$ 3,788 em 26 de maio, no sexto dia de paralisação, segundo dados do portal G1.

O presidente anunciou, ainda, a suspensão da cobrança de pedágio para caminhões com eixos suspensos nas rodovias federais, estaduais e municipais e uma tabela mínima para os preços dos fretes.

Em sua fala de quase oito minutos, Temer disse ter recebido informações preocupantes sobre o impacto da greve na produção agropecuária, com o risco de morte de milhões de animais por falta de rações.

"Fizemos nossa parte para atenuar problemas e sofrimentos. As medidas que acabo de anunciar atendem às reivindicações que nos foram apresentadas", disse.