PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

UE e Londres esboçam futura relação comercial

22/11/2018 21h33

Bruxelas, 22 Nov 2018 (AFP) - A União Europeia (UE) e Londres vão avançaram nesta quinta-feira (22) para o fechamento da negociação do Brexit, após conseguirem moldar sua futura relação comercial, mas a aprovação do acordo de divórcio, no próximo domingo, continua em suspenso sobre a questão de Gibraltar.

Mais de 17 meses depois, ambos conseguiram fechar um rascunho sobre a declaração política que acompanhará o acordo de divórcio e que "estabelece os parâmetros para uma associação ambiciosa, ampla, profunda e flexível", de acordo com o documento de 26 páginas.

Essa declaração sobre suas ambições comerciais, políticas e de segurança foi acordada no "nível dos negociadores", disse o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, explicando que, agora, cabe aos líderes dos países-membro do bloco aprová-la.

No comércio, a questão mais esperada por ambas as partes, o documento prevê uma "zona de livre-comércio" e promete que o Reino Unido vai recuperar uma política comercial independente, atualmente nas mãos de Bruxelas, na medida em que a relação futura permitir.

"Este é o acordo correto para o Reino Unido", afirmou May à imprensa, depois de se dizer "determinada a entregá-lo".

Os líderes dos outros 27 países da UE devem dar sua aprovação a este documento e ao acordo de divórcio negociado, em uma cúpula marcada para domingo em Bruxelas, que iniciará o processo de ratificação da saída dos britânicos no dia 29 de março do ano que vem.

O anúncio sobre o futuro relacionamento no pós-Brexit, cuja negociação formal só pode começar após o divórcio, impulsionou a moeda britânica. A libra esterlina subiu mais de 1% em relação ao dólar nesta manhã.

Ambas as partes também concordaram que o período de transição entre Londres e a UE para evitar uma ruptura grave e negociar a relação futura, por sua vez, poderia ser prorrogado por mais dois anos se comum acordo, até o fim de 2022.

- Gibraltar e pesca -Embora Londres e Bruxelas tenham resolvido nas últimas horas vários dos pontos que estavam em suspenso, a aprovação ao acordo do Brexit na cúpula crucial de domingo ainda não é garantida, devido às questões ainda em aberto, especialmente Gibraltar.

"Trabalhamos de forma construtiva com os governos da Espanha e de Gibraltar nas negociações do Acordo de Saída e queremos que esse trabalho continue no futuro relacionamento", disse May aos deputados da Câmara dos Comuns nesta quinta.

Mas, em conversa por telefone na véspera com o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, "fui absolutamente clara que a soberania britânica de Gibraltar será protegida" - algo que a Espanha reivindica há anos.

Nesta quinta, Sánchez chegou à Cuba para uma histórica visita de dois dias à ilha e manteve a ameaça da véspera.

"Após minha conversa com Theresa May, nossas posições permanecem distantes. Meu Governo sempre defenderá os interesses da Espanha. Se não houver mudanças, vetaremos o Brexit", disse Sánchez em um tuíte pouco antes de iniciar a visita a Cuba.

Já chefe o Executivo de Gibraltar, Fabian Picardo, criticou a postura espanhola: "A quarta economia europeia não precisa de um chicote para conseguir que a menor economia da Europa se sente à mesa", afirmou.

Madri quer que conste claramente no texto negociado entre Londres e a Comissão o princípio, aceito por seus parceiros em abril de 2017, que, após o Brexit, "nenhum acordo entre a UE e o Reino Unido pode ser aplicado ao território de Gibraltar sem o acordo" de Espanha.

"Se isso não for resolvido entre agora e domingo, a Espanha infelizmente (...) terá que votar não [ao acordo Brexit] e exercer sua capacidade de veto", reiterou no dia anterior, falando de Valladolid (noroeste da Espanha), o presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez.

No que diz respeito à pesca, os europeus querem garantir o acesso da sua frota pesqueira às águas britânicas após o fim do período de transição. Essa questão representou um catalisador para o voto a favor do Brexit durante o referendo de junho de 2016.

As negociações em ambos os lados do Canal da Mancha estão em andamento. Os embaixadores dos países do bloco para a UE se reuniram nesta quinta-feira, na véspera de uma reunião dos assessores das capitais para finalizar os detalhes pendentes e preparar a cúpula.

Tudo aponta, no entanto, para que as discussões sejam resolvidas no último minuto.

A primeira-ministra britânica anunciou no dia seguinte ao encontro com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que viajaria novamente no sábado a Bruxelas para negociar.

tjc-acc/pb/ll/tt