IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Laboratório AbbVie compra fabricante do Botox Allergan por US$ 63 bi

25/06/2019 12h04

Paris, 25 Jun 2019 (AFP) - O laboratório farmacêutico americano Abbvie anunciou nesta terça-feira (25) que chegou a um acordo para comprar seu concorrente Allergan, fabricante do Botox, uma operação calculada em 63 bilhões de dólares e que o transformará em um gigante do setor.

Esta união dará à luz um grupo que vai gerar cerca de 48 bilhões de dólares em volume de negócios anual e estará presente em 175 países, com uma carteira de medicamentos que incluirá o Botox e o Humira, um tratamento para artrite reumatoide, considerado o mais vendido no mundo.

Esta operação mostra o retorno das grandes manobras ao setor farmacêutico, quando há pressões políticas para uma queda nos preços dos medicamentos nos Estados Unidos.

Ao assumir o controle do laboratório Allergan, Abbvie prepara uma contraofensiva contra a queda esperada nas vendas do Humira. A patente desta medicação entrará em domínio público em breve, enquanto outros tratamentos simultâneos surgiram como Kevzara (sarilumab), desenvolvido pelo laboratório francês Sanofi.

A Allergan é conhecida especialmente pelo Botox, muito usado no tratamento estético de rugas e linhas de expressão do rosto. A empresa também desenvolve outros produtos dermatológicos, bem como produtos para o tratamento de doenças do trato urinário e fibrose cística.

É também o segundo mundial em oftalmologia, com seus tratamentos de glaucoma, secura ocular e doenças da retina. Um dos mais rentáveis é o Restasis, tratamento contra os olhos secos.

A fusão Abbvie-Allergan vai gerar um caixa de 19 bilhões de dólares, dinheiro que Abbvie espera usar para pagar a dívida que vai contrair para financiar a transação.

Os detalhes financeiros preveem que Abbvie pagará US$ 188,24 por ação do Allergan, dos quais US$ 120,30 em dinheiro, e o saldo, com suas ações. A oferta constitui um prêmio de 45% para os acionistas do Allergan em comparação com o preço de fechamento do título na segunda-feira em Wall Street.

Este último subia mais de 31%, a US$ 170 às 10h45 nas negociações eletrônicas antes da sessão de terça-feira. A ação Abbvie caía 8%.

O novo grupo permanecerá fiscalmente domiciliado nos Estados Unidos, no estado de Delaware (nordeste), disse Abbvie.

pid-lo/nth/eg/mb/mr/tt

Economia