PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Trump: acordo comercial com a China será muito mais duro se ele for reeleito

Donald Trump e Xi Jinping durante encontro em Pequim, China, em novembro de 2017 - Andrew Harnik/AP
Donald Trump e Xi Jinping durante encontro em Pequim, China, em novembro de 2017 Imagem: Andrew Harnik/AP

Em Washington

03/09/2019 16h39

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertou hoje à China para não estender as negociações comerciais com a expectativa de que ele vai perder nas eleições presidenciais de 2020.

"Embora eu tenha certeza de que eles gostariam de lidar com um novo governo... mais 16 meses é um longo período para estar perdendo empregos e empresas", afirmou Trump no Twitter.

E ainda alertou que, se for eleito, a negociação será "muito mais difícil".

Enquanto Trump apontou o enfraquecimento da economia da China, uma pesquisa mostrou nesta terça-feira que o setor manufatureiro dos EUA - que Trump defende - retraiu no mês passado pela primeira vez em três anos.

Embora isso não signifique necessariamente que uma recessão nos EUA esteja no horizonte, economistas disseram que é um sinal preocupante.

Os resultados sombrios para o setor industrial dos EUA foram apenas o último sinal de abrandamento da economia americana, que registrou lentidão nas contratações e uma queda acentuada nos investimentos das empresas.

As previsões ainda apontam um crescimento de cerca de 2% no terceiro trimestre, no entanto.

Enquanto isso, a mídia estatal chinesa informou nesta terça-feira que os senadores republicanos Steve Daines e David Perdue haviam se encontrado em Pequim com o vice-primeiro-ministro Liu He, o principal negociador da China nas negociações comerciais.

Liu disse que a China espera uma resolução negociada baseada em "igualdade e respeito mútuo", segundo a Xinhua.