PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

FMI aprova recursos para aliviar dívida de 25 países pobres contra covid-19

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

em Washington (EUA)

13/04/2020 18h54

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou hoje a aprovação de fundos para aliviar a dívida de 25 países entre os mais pobres do mundo, quase todos na África, permitindo-lhes destinar seus recursos para combater a pandemia do novo coronavírus.

"Isto proporciona subvenções aos nossos membros mais pobres e vulneráveis para cobrir suas obrigações de dívida com o FMI durante uma fase inicial nos próximos seis meses e os ajudará a destinar uma parte maior de seus escassos recursos financeiros aos seus esforços de emergência médica e de ajuda", destacou em comunicado a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva.

Os 25 países beneficiados pela medida são: Afeganistão, Benin, Burkina Faso, República Centro-africana, Chade, Comores, República Democrática do Congo, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissai, Haiti, Libéria, Madagascar, Malauí, Mali, Moçambique, Nepal, Níger, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Serra Leoa, Ilhas Salomão, Tadjiquistão, Togo e Iêmen.

O Fundo, juntamente com o Banco Mundial, pediu aos países ricos que parem de cobrar pagamentos de dívidas dos países pobres de 1º de maio a junho de 2021.

O alívio da dívida será financiado pelo Fundo de Contenção e Alívio de Catástrofe do FMI (CCRT), que foi criado pela primeira vez para combater o surto de Ebola na África Ocidental em 2015 e foi reajustado para ajudar os países a se defenderem da covid-19.

Atualmente, esse fundo tem US$ 500 milhões, sendo Japão, Reino Unido, China e Holanda seus principais contribuintes.

"Peço a outros doadores que nos ajudem a reabastecer os recursos do fundo e aumentem ainda mais nossa capacidade de fornecer alívio adicional do serviço da dívida por dois anos aos nossos países membros mais pobres", solicitou Georgieva.

Na semana passada, o Banco Mundial anunciou que distribuirá US$ 160 bilhões em ajuda de emergência em 15 meses para ajudar os países afetados pelo vírus, incluindo US $ 14 bilhões em pagamentos de dívidas de 76 países pobres para outros governos.

PUBLICIDADE