PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Itália se prepara para dívida e déficit vertiginosos por coronavírus

24/04/2020 18h33

Roma, 24 Abr 2020 (AFP) - A epidemia do novo coronavírus levará a dívida e o déficit público da Itália a níveis vertiginosos, devido a uma economia paralisada e a um gasto público excessivo para apoiar empresas e famílias.

De acordo com os novos orçamentos, adotados na sexta-feira pelo Gabinete de Ministros e a serem submetidos ao Parlamento, a terceira economia da zona do euro terá uma forte recessão este ano, com uma queda no Produto Interno Bruto (PIB) de 8%.

O déficit público alcançará 10,4% do PIB, contra os 2,2% previstos antes da pandemia e os 1,6% registrados em 2019.

A dívida pública subirá para 155,7% do PIB este ano, em comparação com 135,2% previstos antes da crise e os 134,8% em 2019.

No entanto, Roma espera que a situação melhore no próximo ano, com crescimento de 4,7% do PIB, e redução do déficit para 5,7% e da dívida pública para 152,7%, níveis extremamente elevados.

A Comissão Europeia suspendeu as regras de austeridade fiscal, incluindo a famosa regra de déficits públicos abaixo de 3% do PIB, para que os Estados possam enfrentar as conseqüências econômicas da crise da saúde.

A dívida italiana, que chega a mais de 2,4 trilhões de euros, está no centro das atenções.

A pandemia e as medidas de confinamento impostas para detê-la paralisaram a economia italiana.

A Itália é o país europeu mais afetado pelo COVID-19, com quase 26.000 mortes e cerca de 193.000 casos. A falta de confinamento no país teria que ser feita em quatro etapas, a primeira nesta segunda-feira, segundo a mídia, embora o governo ainda não tenha anunciado nada.

ljm-cco/glr/bh/es/jz/cc

RCS MEDIAGROUP

MOODY'S CORP.

COMMERZBANK