PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Pedidos industriais de abril na Alemanha têm pior queda desde 1991

05/06/2020 07h04

Frankfurt am Main, 5 Jun 2020 (AFP) - Os pedidos ao setor industrial alemão despencaram 25,8% em abril em relação ao mês anterior, devido ao coronavírus, a maior queda desde 1991 e pior do que os economistas esperavam - anunciou o escritório de estatísticas (Destatis) nesta sexta-feira (5).

Esse indicador, que antecipa a atividade industrial, não registrava um mês desse tipo "desde que a série histórica começou em 1991", afirmou o Destatis, em um mês em que muitos setores da economia europeia ficaram paralisados por medidas para conter a pandemia do novo coronavírus.

Comparado ao ano anterior, os pedidos caíram 36,6% em abril, relatou o Destatis.

As restrições contra a pandemia de coronavírus "foram aplicadas na maioria dos principais países ao longo do mês", explicou o Ministério da Economia em um comunicado.

A suspensão progressiva do confinamento significa que "provavelmente o ponto mais baixo da recessão industrial já passou", acrescentou a pasta.

Desde maio, as fábricas vêm retomando sua atividade, gradualmente.

O declínio histórico de março a abril foi maior do que os economistas do Factset haviam previsto: uma queda de 20% em um mês.

Segundo o escritório de estatística, em março, a queda de pedidos em relação ao mês anterior foi de 15%. Os pedidos de bens de capital, como máquinas, foram particularmente afetados, com uma queda de 30,6%.

Bens de consumo e semiacabados registraram recuos de 11,4% e 22,7%, respectivamente.

Os pedidos nacionais caíram 22,6%; os da zona do euro, 32,6%; e os do restante do mundo, 26,6%, completou o Destatis.

O faturamento da indústria caiu 11,5% em relação a março, segundo dados corrigidos pelas variações sazonais.

jpl/pc-jvb/mar/tt