PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Multidões de consumidores desafiam pandemia no 'Dia sem IVA' na Colômbia

19/06/2020 21h58

Bogotá, 20 Jun 2020 (AFP) - Dezenas de milhares de consumidores se aglomeraram em Bogotá e outras cidades da Colômbia nesta sexta-feira (19) para aproveitar um dia de descontos promovido pelo governo no momento em que aumentam os contágios e os óbitos pela pandemia do novo coronavírus.

Em meio às cada vez mais relaxadas medidas de confinamento, multidões abarrotaram lojas, animadas pelo "Dia sem IVA", decretado pelo presidente Iván Duque antes de eclodir a emergência sanitária, o que lhe rendeu duras críticas.

Na capital, Bogotá, com oito milhões de habitantes e principal foco da doença, a prefeita Claudia López culpou o governo federal de ter "jogado no lixo" os esforços de quase três meses para manter sob controle o vírus, desde que foi detectado no país, em 6 de março.

Jornalistas da AFP viram grandes grupos de pessoas nos arredores de lojas com máscaras, mas sem manter o distanciamento social recomendado.

Circularam nas redes sociais vídeos mostrando multidões lotando a entrada de grandes comércios para comprar bens sem 19% do IVA, às vésperas da comemoração do Dia dos Pais na Colômbia.

"Aumentar as vendas e reduzir as vidas?", questionou López no Twitter. A polícia disse ter registrado 34 "aglomerações" em Bogotá, Cali, Barranquilla, Medellín e Bucaramanga.

Nesta sexta, a Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu que o mundo entrou em uma "fase perigosa" da pandemia por conta da suspensão das medidas de desconfinamento.

Na América Latina, com o Brasil e o México à frente, a COVID-19 avança em grande velocidade.

Com 50 milhões de habitantes, a Colômbia é o quinto país mais castigado da região pela pandemia, com mais de 60.000 contágios registrados e superou nesta sexta-feira os 2.000 óbitos (2.045) pela COVID-19. O país soma 63.276 casos, segundo o último balanço do ministério da Saúde.

Por causa das aglomerações, o governo de Duque anunciou pela tarde que reforçaria a vigilância nos pontos críticos.

"A força pública reforçará ao longo do dia sua presença com patrulhas conjuntas para garantir que se cumpram as medidas de biossegurança", disse o ministro da Defesa, Carlos Holmes Trujillo, em vídeo enviado aos meios de comunicação.

As autoridades também anunciaram o fechamento de estabelecimentos comerciais em Cali e Bogotá por descumprimento de medidas sanitárias de emergência.

"Promover neste momento de pico da pandemia um dia sem IVA (...) implica que pessoas que acreditam que vão ganhar o desconto da vida acabem perdendo a vida", criticou Luis Ernesto Gómez, secretário de governo de Bogotá.

As medidas de confinamento vão vigorar no país até 1º de julho, embora nestes meses Duque tenha liberado gradativamente várias atividades, pressionado pela crise econômica causada pela pandemia.

O governo prevê para 2020 um dos piores desempenhos econômicos da história. O ministério da Fazenda estima um retrocesso de 5,5%.

dl-vel/lv/dg/mvv

Twitter