PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Fernández pede compreensão a credores e reitera que oferta argentina é a última

21/07/2020 19h57

Buenos Aires, 21 Jul 2020 (AFP) - O presidente da Argentina, Alberto Fernández, pediu a compreensão dos credores e reiterou que sua oferta de swap de US$ 66 bilhões da dívida é "o último esforço" que seu país pode fazer, em uma conferência virtual com o Conselho das Américas.

"Estou muito confiante de que os credores entendem que estamos fazendo um esforço enorme e que é o último que devemos fazer. Peço, por favor, que ajudem a Argentina a sair da estagnação", disse Fernández nesta terça-feira, um dia após três grupos de credores de títulos sujeitos a uma reestruturação rejeitarem a oferta de swap.

"É impossível pedir a um país com 40% de pobreza que faça mais um esforço, porque esse esforço sempre recai sobre os setores mais vulneráveis", insistiu o presidente.

Os grupos Exchange Bondholders, Ad Hoc e Argentina Creditor Committee, com capacidade de bloquear o swap, consideraram que a oferta argentina "fica aquém" do que podem aceitar e apresentaram uma contraproposta.

Esses credores reivindicam um pagamento de US$ 56,6 por 100, comparado a 53,5 por 100 da oferta formal, cujo prazo para adesão se encerra em 4 de agosto.

A diferença entre as duas propostas acrescentaria cerca de 3 bilhões de dólares em dez anos, segundo um cálculo da consultoria EcoGo.

"Meu governo não está aqui para discutir ou brigar com ninguém, estamos aqui para resolver um problema em termos razoáveis. Fizemos um enorme esforço e continuamos a discutir a dívida mesmo enquanto a pandemia continua a nos atingir, porque queremos resolver isso", disse Fernández.

"Não é um capricho, é bom senso. Esse é o entendimento que peço", disse.

A Argentina está em recessão desde 2018, com a pobreza e o desemprego aumentando, e sua economia deve sofrer ainda mais como resultado da pandemia.

nn/sa/mr/cc