PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Queimadas obrigam francesa Total a paralisar megacampo de gás na Bolívia

Incêndios florestais causam suspensão de operações em megacampo de gás natural no sudeste da Bolívia - Carl de Souza/AFP
Incêndios florestais causam suspensão de operações em megacampo de gás natural no sudeste da Bolívia Imagem: Carl de Souza/AFP

01/10/2020 22h30

La Paz, 2 Out 2020 (AFP) - A petrolífera francesa Total suspendeu por segurança suas operações em um megacampo de gás natural no sudeste da Bolívia, onde foram registrados incêndios florestais, informou a empresa nesta quinta-feira (1º).

"Devido ao aumento do vento, parte do incêndio se aproximou de alguns setores da usina, sendo os sistemas de segurança acionados e a produção da usina suspensa" no campo de Incahuasi, explicou a empresa em comunicado publicado na imprensa local.

"Relatamos que o pessoal e as instalações estão sob controle e segurança", acrescentou.

A empresa francesa Total é a principal operadora em Incahuasi, onde também há participação da russa Gazprom, que contribui com 11 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural que é distribuído, através da estatal boliviana YPFB, ao mercado interno e externo, principalmente a Argentina.

O bloco de Incahuasi representa 15% do total da produção nacional de gás natural da Bolívia.

A YPFB confirmou, em comunicado enviado à AFP, que "devido aos ventos e considerando os incêndios externos que se aproximam da usina, a Total ativou seus processos de segurança e interrompeu a produção de gás."

Os incêndios na área da usina de gás foram controlados, acrescentou.

Florestas e pastagens na Amazônia e em Chiquitanía, na Bolívia, sofrem os efeitos dos incêndios que de janeiro a setembro consumiram 2,3 milhões de hectares.

As queimadas costumam ocorrer na Bolívia devido ao desmatamento, que permite a expansão da fronteira agrícola e agropecuária. As altas temperaturas também os favorecem.

jac/fj/gfe/am