PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

PIB argentino encolheu 10% em 2020, segundo primeira estimativa oficial

24/02/2021 18h35

Buenos Aires, 24 Fev 2021 (AFP) - A economia argentina encolheu 10,0% em 2020 com base em 2019 por causa da pandemia de covid-19, após recuar 2,2% em dezembro na comparação interanual, segundo a primeira estimativa oficial, divulgada nesta quarta-feira (24).

De acordo com a Estimativa Mensal de Atividade Econômica (EMAE), em dezembro passado a economia cresceu 0,9% em relação a novembro, a oitava melhora mês a mês.

No ano, os piores meses foram abril e maio, quando houve uma quase paralisação das atividades pela estrita quarentena decretada no país para conter a propagação do coronavírus, com quedas anuais de 25,4% e 20%, respectivamente.

A partir do terceiro trimestre, houve uma reabertura gradual da indústria e do comércio, embora tenham permanecido as restrições à circulação.

Na lei de Orçamento, enviada ao Congresso em setembro, o governo tinha estimado uma queda do PIB de 12,1% em 2020.

Na comparação interanual, em dezembro foram registrados aumentos nos setores de intermediação financeira (+11,3%), comércio atacadista, varejista e reparos (+10,7%), e recuos no setor de hotéis e restaurantes (-47,1%) e no de transportes e comunicações (-19,2%), segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas e Censo (Indec).

Enquanto isso, no acumulado de 2020, só dois setores tiveram aumentos: intermediação financeira (+2,1%) e eletricidade, gás e água (+0,8%).

Todos os outros setores registraram quedas, entre elas a mais pronunciada foi o de hotéis e restaurantes, com um recuo de 48,6%. Enquanto isso, outras atividades de serviços comunitários, sociais e pessoais caíram 37,5%.

O EMAE é tomado como uma estimativa da evolução do Produto Interno Bruto (PIB) do ano 2020, que será divulgado oficialmente em março.

ls/ml/mr/mvv