PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Economia dos EUA soma 266 mil empregos em abril, bem menos que esperado

A taxa de desemprego nos EUA aumentou ligeiramente para 6,1% - REUTERS/Jessica Rinaldi
A taxa de desemprego nos EUA aumentou ligeiramente para 6,1% Imagem: REUTERS/Jessica Rinaldi

07/05/2021 11h16

Washington, 7 Mai 2021 (AFP) - A economia dos Estados Unidos ganhou apenas 266.000 empregos em abril e a taxa de desemprego aumentou ligeiramente para 6,1% - informou o governo nesta sexta-feira (7), desafiando as expectativas de recontratações em massa com o abrandamento da pandemia da covid-19.

Economistas haviam projetado que a economia aumentaria um milhão de vagas, à medida que as vacinas e os estímulos do governo permitissem que os negócios voltassem ao normal na maior economia do mundo.

Os dados do Departamento do Trabalho mostraram fortes recontratações no setor de lazer e hotelaria, especialmente em bares e restaurantes, os primeiros a demitir trabalhadores quando a pandemia os obrigou a fechar em março de 2020.

Esses ganhos foram neutralizados, no entanto, por demissões entre trabalhadores temporários e mensageiros, transporte e manufatura.

"Esta é uma grande falha que muda a forma como pensamos sobre a recuperação", disse Justin Wolfers, professor de economia da Universidade de Michigan, no Twitter.

O relatório de abril representou um revés para a recuperação esperada pela maioria dos analistas, com os Estados Unidos preparados para ganhos de empregos ainda mais fortes durante o verão.

O Departamento do Trabalho também revisou seu importante relatório de março para baixo, apresentando o acréscimo de 770.000 posições, 146.000 a menos do que inicialmente relatado, embora as contratações em fevereiro tenham sido revisadas para cima em 68.000.

O salário médio por hora aumentou 21 centavos para US$ 30,17 em abril, depois de cair ligeiramente em março, disse o relatório, uma indicação de que a escassez de funcionários pode estar obrigando as empresas a aumentarem sua remuneração.

O setor de lazer e hotelaria gerou 331 mil empregos, com locais para comer e beber, como restaurantes e bares, respondendo por mais da metade do aumento.

Estes ganhos foram suavizados, porém, por um declínio de 111.000 empregos em serviços de ajuda temporária e pela perda de 77.000 empregos em correios e mensageiros.

A fabricação de automóveis perdeu 27.000 empregos, de acordo com o relatório, o que pode refletir a desaceleração da produção devido à escassez global de semicondutores.

A taxa de participação na força de trabalho, indicando a proporção de adultos em idade ativa empregados ou procurando trabalho, mudou pouco, 61,7%, enquanto os dados indicam que a economia continua com 8,2 milhões de empregos a menos do que em fevereiro de 2020, antes da pandemia.