PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Congresso de telefonia móvel começa em Barcelona sob grande vigilância sanitária

28/06/2021 09h52

Barcelona, 28 Jun 2021 (AFP) - O Mobile World Congress (MWC) começou nesta segunda-feira (28) em Barcelona, tornando-se um dos grandes eventos profissionais em nível mundial que voltam a acontecer de forma física desde o início da pandemia de covid-19, mas em versão reduzida.

"É absolutamente incrível estar de volta aqui, neste palco, em Barcelona", afirmou Mats Granryd, diretor-geral da associação de operadoras de telecomunicação GSMA, que organiza o evento, em seu discurso de inauguração.

O MWC, evento-chave para o setor das novas tecnologias que geralmente é realizado no final de fevereiro, foi adiado para 28 de junho a 1º de julho devido à pandemia e concebido em um modo híbrido, que alternará conferências virtuais com expositores instalados no Palácio do Congresso de Barcelona.

Dezenas de pessoas faziam fila hoje pela manhã em frente a um grande centro de teste de covid-19, obrigatório para entrar no local.

Os participantes deverão usar a todo momento uma máscara PFF2 de segurança reforçada, preencher toda manhã uma declaração certificando que não possuem nenhum sintoma da doença, e andar pelos corredores em uma direção pré-definida.

A edição de 2021 será muito reduzida devido à ausência física de vários grandes fabricantes, após a anulação da edição do ano passado, decidida pouco antes dos grandes confinamentos mundiais da primavera boreal de 2020.

Os gigantes do setor - como o coreana Samsung, a finlandesa Nokia, a sueca Ericsson e os americanos Google e Facebook - só participarão virtualmente, pelo medo dos contágios.

A chinesa Huawei, alvo de sanções americanas que prejudicam suas vendas, será o maior grupo com presença física, junto a operadoras de telecomunicações como Orange e Telefónica.

Ao contrário dos anos anteriores, nenhum grande fabricante anunciou a apresentação de um novo telefone em Barcelona, apesar da expectativa de que algumas pequenas empresas chinesas e europeias revelem seus novos aparelhos.

A organização estabeleceu um máximo de 50.000 visitantes por precaução, embora não espere que os convidados superem os 35.000. Nas edições anteriores, houve 100.000 participantes, de acordo com os organizadores.

O evento ocupará apenas três pavilhões do Palácio do Congresso, em comparação com os oito que costuma ocupar normalmente.

Um dos principais poderosos será o magnata da tecnologia Elon Musk, que participará à distância na terça-feira.

As conferências analisarão também a implantação mundial das redes de internet ultrarrápidas 5G, o aumento da demanda por objetos conectados e a telemedicina, esta última propiciada pela pandemia.

emi/ds/rs/du/me/aa