PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Israel atribui ao Irã ataque a petroleiro na costa de Omã

30/07/2021 18h07

Londres, 30 Jul 2021 (AFP) - Dois tripulantes de um petroleiro que navegava na costa de Omã morreram nesta sexta-feira em um ataque que Israel atribuiu ao Irã. O navio é administrado pela Zodiac Maritime, propriedade de um multimilionário israelense.

Um alto funcionário de Israel atribuiu o ataque ao Irã, uma possibilidade também levantada por especialistas. Ele ocorreu em uma área estratégica onde embarcações israelenses já sofreram este tipo de incidente no passado.

Teerã "semeia violência e destruição" e "não é um problema apenas para Israel, mas para todo o mundo. Seu comportamento ameaça a navegação e o comércio mundial", acrescentou o oficial israelense. "Nossa campanha contra eles (o Irã) continuará", acrescentou.

"Com uma grande tristeza, fomos informados que o incidente a bordo do 'M/T Mercer Street' gerou a morte de dois membros da tripulação: um romeno e um britânico", disse no Twitter a Zodiac Maritime, uma empresa internacional com sede em Londres.

"Podemos confirmar que o 'M/T Mercer Street' agora volta a navegar sob controle da tripulação para um lugar seguro e com escolta naval dos Estados Unidos", afirmou o grupo, que pertence ao empresário israelense Eyal Offer, considerado a 197ª pessoa mais rica do mundo, segundo a revista "Forbes".

"Acompanhamos de perto a situação", informou o Departamento de Estado americano. "Cooperamos com nossos parceiros estrangeiros para restabelecer os fatos."

- 'Incidente de segurança' -

Segundo o portal de operações marítimas UKMTO, um órgão de combate à pirataria que depende da Marinha britânica, o ataque ocorreu às 15h00 (horário de Brasília) a cerca de 152 milhas náuticas (280 quilômetros) das costas de Omã.

O britânico morto trabalhava para a empresa de segurança Ambrey, cujo porta-voz confirmou a morte "trágica" de seu funcionário em um "incidente de segurança".

Um porta-voz do ministério da Defesa britânico também disse que seus quartéis-generais na região "estão atualmente investigando" os fatos.

"No momento do incidente, a embarcação se encontrava no norte do oceano Índico" e navegava sem carga a partir de Dar es Salaam, na Tanzânia, com destino a Fujaira, uma cidade costeira dos Emirados Árabes Unidos, informou o operador naval, que administra o navio japonês atacado.

Um representante do centro de segurança marítima de Omã informou ter recebido informações sobre um "incidente fora das águas territoriais" do sultanato, e que um navio e aviões militares foram enviados para sobrevoar o local.

O Mar de Omã está localizado entre Irã e Omã, onde se encontra o estratégico Estreito de Ormuz, pelo qual transita boa parte do petróleo mundial e onde está presente uma coalizão liderada pelos Estados Unidos.

Os navios que passam pela região costumam sofrer ataques de pirataria há uma década, mas esses incidentes se reduziram significativamente nos últimos anos, após o reforço das patrulhas das forças navais de vários países.

- 'Escalada significativa' -

O especialista em segurança Meir Javedanfar, da universidade israelense IDC, afirmou à AFP que "muito provavelmente" o Irã está por trás do ataque.

"O ataque do 'MT Mercer Street' é agora considerado o quinto ataque a uma embarcação vinculada a Israel", disseram em um comunicado os analistas da Dryad Global, uma empresa britânica especializada em segurança marítima, descrevendo-o como "retaliação na guerra das sombras entre as duas potências".

O canal em árabe de uma das TVs públicas do Irã citou fontes na região segundo as quais o ataque foi uma resposta "a um ataque israelense recente na Síria".

Dois navios da operadora israelense Ray Shipping já sofreram ataques atribuídos ao Irã este ano, enquanto Teerã acusa Israel de estar por trás da explosão de 11 de abril no complexo nuclear de Natanz. No entanto, a morte de dois membros da tripulação "representa uma escalada significativa", reconheceu Dryad Global.

spe-jwp-cdu/gmo/thm/eb/pc/aa/ic/lb

ZODIAC AEROSPACE

Twitter

PUBLICIDADE