PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Wall Street fecha em forte queda devido à alta das taxas de bônus nos EUA

28/09/2021 19h05

Nova York, 28 Set 2021 (AFP) - A bolsa de Nova York fechou em forte queda nesta terça-feira (28) e se encaminha ao seu pior mês em um ano em setembro, arrastada pelo aumento das taxas dos bônus americanos.

O mercado espera uma redução do estímulo monetário do Federal Reserve (Fed, banco central americano), o que provocou a queda da bolsa: o índice principal, Dow Jones, fechou em baixa de 1,63% a 34.299,99 pontos; o tecnológico Nasdaq - muito sensível ao aumento das taxas - recuou 2,83% a 14.546,68 unidades, e o S&P 500 perdeu 2,04% a 4.352,63.

Os rendimentos dos bônus do Tesouro a dez anos subiram 1,54% frente a 1,48% na segunda-feira.

Os operadores tiveram uma série de razões para a volatilidade das transações do dia: o espectro de uma diminuição da compra de ativos por parte do Federal Reserve (banco central americano) combina com a paralisia legislativa sobre o limite da dívida americana e as preocupações com a inflação.

"Esta liquidação de hoje, provocada pelas taxas de juros, lembra qual foi o impacto do estímulo do Fed", destacou Charlie Ripley, estrategista de investimentos da Allianz Investment Management.

O Fed, que desde o início da pandemia compra cerca de 120 bilhões de dólares mensais em bônus do Tesouro e outros títulos, deixou evidente em sua reunião de política monetária da semana passada que reduziria em breve esta grande fonte de liquidez.

Perante uma comissão do Senado, o titular do Fed, Jerome Powell, disse que a inflação, devida principalmente a problemas de abastecimento, "é elevada e provavelmente continuará sendo nos próximos meses", embora tenha reiterado que esta situação será temporária.

A falta de um acordo no Congresso para aumentar o limite de endividamento dos Estados Unidos também preocupa os mercados. A secretária do Tesouro, Janet Yellen, anunciou que o país não disporá de recursos em 18 de outubro se esta cota não for aumentada.

Além disso, a confiança dos consumidores americanos voltou a cair em setembro, situando-se em um mínimo desde fevereiro.

Ao cair a 109,3 pontos (-5,9 unidades com base na medição de agosto), o índice do Conference Board, publicado nesta terça-feira, marca seu terceiro mês consecutivo de queda.

Os analistas esperavam uma queda, mas de menor envergadura, a 114,4 pontos.

Entre os valores do dia, várias empresas tecnológicas foram afetadas pelo aumento das taxas dos bônus, que repercute em sua capacidade financeira.

O Facebook perdeu 3,66% a 340,65 dólares, a Amazon recuou 2,64% a 3.315,96 dólares e a Alphabet (matriz da Google) teve queda de 3,76% a 2.723,68 dólares por ação.

vmt/jum/nth/mr/dga/mvv

PUBLICIDADE