PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

American Airlines volta a reduzir número de voos por atrasos do Boeing 787

18/02/2022 19h45

Nova York, 18 Fev 2022 (AFP) - A companhia aérea American Airlines anunciou nesta sexta-feira (18) que reduzirá ainda mais do que o previsto inicialmente seus voos internacionais no verão no hemisfério norte devido aos atrasos nas entregas da aeronave 787 Dreamliner, da Boeing.

O avião enfrenta problemas de produção desde que os primeiros defeitos foram descobertos, em 2020, e as entregas foram suspensas desde maio passado.

A Boeing não quer antecipar uma data de volta à normalidade enquanto as discussões com as autoridades americanas de aviação continuam.

A American Airlines espera receber 13 aeronaves 787 Dreamliner em sua frota para 2022.

A empresa já tinha cortado sua programação de voos em dezembro, renunciando em especial a certos destinos, como Edimburgo, Praga e Dubrovnik.

Frente à incerteza persistente sobre a data das entregas, a American optou por "agir antecipadamente para reduzir qualquer impacto negativo pelos atrasos da Boeing sobre (suas) atividades e (seus) clientes", segundo um texto ao qual a AFP teve acesso no site da empresa.

Isto significa adiar o lançamento da linha Dallas-Tel Aviv, assim como a suspensão temporária das rotas Seattle-Londres, Dallas-Santiago do Chile e Los Angeles-Sydney. A American Airlines também vai reduzir a um voo por dia o trajeto Miami-São Paulo.

Os 787 Dreamliner são aeronaves destinadas a longos trajetos que não podem ser facilmente substituídas por aeronaves de corredor único que cobrem trajetos de curta ou média distância, destacou um porta-voz da American Airlines.

A Boeing se comprometeu a pagar uma compensação financeira pelas perdas relacionadas com os atrasos nas entregas das aeronaves.

A fabricante estima que os contratempos atuais com o 787 lhe custam cerca de 5,5 bilhões de dólares.

jum/jul/cjc/gm/mvv

American Airlines

BOEING