China reduz taxa de juros de referência para apoiar a economia

O Banco Central da China reduziu nesta quinta-feira (14) uma taxa de juros de referência, a terceira medida do tipo em algumas semanas, para tentar estimular a atividade em um cenário de desaceleração da segunda maior economia mundial.

A taxa de reserva obrigatória (RRR, na sigla em inglês), que representa a parte dos depósitos que os bancos devem ter em seus cofres, será reduzida em 0,25 ponto a partir de sexta-feira, anunciou o Banco Central.

A RRR passará a 7,4%.

A decisão foi anunciada na véspera da publicação de uma série de indicadores chaves para a economia chinesa relativos ao mês de agosto.

A redução anterior da taxa havia acontecido em março. A medida era amplamente antecipada pelos mercados.

A decisão pretende "estimular os bancos a reduzir as taxas dos empréstimos hipotecários" em um momento de crise no setor imobiliário que afeta consideravelmente a economia chinesa, afirmou o economista Larry Hu, do banco de investimentos Macquarie.

A economia chinesa foi abalada recentemente pela incerteza no mercado de trabalho e por uma desaceleração global, o que pesa na demanda de produtos do país asiático.

Os problemas financeiros do setor imobiliário, com várias grandes empresas à beira da falência e lutando para concluir projetos, também afetam o crescimento.

Outro indício de desaceleração: os empréstimos para as famílias registraram no mês passado o menor nível desde 2009.

Continua após a publicidade

A desaceleração econômica coloca em risco a meta de crescimento estabelecida pelas autoridades: ao redor de 5% para 2023. 

Se a meta for alcançada, esta seria uma das menores taxas de crescimento anual da China em décadas, sem considerar o período de pandemia.

sbr/clc/mar/zm/fp

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes