Wall Street fecha em baixa em mercado com aversão ao risco

A Bolsa de Nova York fechou em baixa nesta terça-feira (26), devido a um movimento de aversão ao risco, em meio a múltiplos fatores negativos na conjuntura econômica global, desde taxas de juros elevadas até os altos preços do petróleo.

O índice Dow Jones caiu 1,14%, o tecnológico Nasdaq perdeu 1,57% e o S&P 500 teve queda de 1,47%.

Desde o início da semana, Wall Street está preocupada com o quão longe o Federal Reserve (Fed, banco central americano) irá com o aumento das taxas de juros e se isso poderia "quebrar algo" e causar distúrbios nos mercados e na economia em geral, de acordo com Art Hogan, da Riley Wealth Management.

Há vários dias, Wall Street tem observado com expectativa a constante alta das taxas dos títulos do Tesouro.

O rendimento dos títulos de 10 anos atingiu 4,56%, o maior em 16 anos. À medida que os traders se ajustam à ideia de taxas de juros altas por um longo período, os rendimentos dos títulos de longo prazo sobem.

Assim, os títulos de 30 anos rendem até 4,69%, o nível mais alto em 11 anos.

"Não houve grandes novidades hoje (terça-feira), mas o mercado está reagindo antecipadamente", resumiu Kim Forrest, da Bokeh Capital Partners.

Para Forrest, a Bolsa de Nova York está reagindo exageradamente. Os indicadores macroeconômicos continuam sólidos, mesmo que estejam desacelerando.

"Estamos nos aproximando da temporada de resultados e não vejo nenhuma indicação de que as empresas não cumprirão suas metas", analisou. "Nada a temer aparece no horizonte, mas o mercado está vendendo porque teme que os números esperados não se concretizem".

Continua após a publicidade

Entre os mais afetados do dia, está a gigante Amazon (-4,03%), que sofreu com o anúncio de uma ação movida pela FTC, a agência que regula a concorrência nos Estados Unidos, por abuso de posição dominante no comércio eletrônico.

A FTC e 17 estados entraram com uma ação contra a Amazon, acusando-a de práticas desleais para manter "ilegalmente seu monopólio" no comércio online, de acordo com um comunicado da agência federal.

Outras empresas de tecnologia caíram devido à saída de investidores do mercado, como a Apple (-2,34%), Microsoft (1,70%) ou Alphabet (-2,06%).

À medida que a greve dos trabalhadores do setor automobilístico continua, as grandes montadoras americanas estão perdendo mais capitalização de mercado. Nesta terça-feira, a Stellantis (-2,08%), a Ford (-1,19%) e a General Motors (-2,42%) todas fecharam em território negativo.

tu/mr/ag/am/mvv

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes