Inflação da Alemanha atinge menor nível desde início da guerra na Ucrânia

A inflação na Alemanha desacelerou em setembro, a 4,5% em termos anuais, o menor nível desde o início da guerra na Ucrânia, em fevereiro de 2022, conforme números publicados nesta quinta-feira (28) pelo instituto de estatística Destatis.

O indicador caiu 1,6 ponto percentual em relação a agosto, informou o Destatis. 

A queda se deve, sobretudo, à melhora dos preços da energia e ao fim do impacto de uma redução dos preços dos transportes aplicada no ano passado. 

A redução é mais expressiva que os prognósticos dos analistas citados pela plataforma de análise financeira Factset, que previam uma inflação de 4,7%. 

Segundo o Destatis, esta queda é resultado de um "efeito de base" que terminou no final de setembro. 

Entre junho e agosto, a inflação se viu afetada pela comparação com o nível dos preços dos transportes no verão de 2022 (inverno no Brasil), que eram muito baixos, graças a um plano de ajuda governamental. 

Durante esse período, Berlim estabeleceu um bilhete de 9 euros por mês (9,5 dólares, ou R$ 47,90 na cotação do dia) que permitiu o acesso a todos os transportes públicos do país, assim como a uma redução nos custos de combustível.

A desaceleração da inflação também se deve a uma melhora nos preços da energia, que subiram apenas 1,0% em setembro, depois de terem aumentado 8,3% em agosto, e 5,7%, em julho. 

A inflação dos alimentos também está desacelerando, mas segue em um nível elevado, 7,5%, contra 9,0% em agosto, e 11,0%, em julho.

Continua após a publicidade

fcz/smk/es/mb/tt/fp

© Agence France-Presse

Deixe seu comentário

Só para assinantes