Polônia espera que a reunião da OMC nos Emirados Árabes Unidos ajude a reconstruir a confiança nas relações econômicas globais

Por Binsal Abdulkader

ABU DHABI, 15 de fevereiro de 2024 (WAM) - A Polônia espera que a 13ª Conferência Ministerial (MC13) da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Abu Dhabi, no final deste mês, ajude a reconstruir a confiança nas relações econômicas internacionais, disse Jacek Tomczak, vice-ministro polonês de Desenvolvimento e Tecnologia, à Agência de Notícias dos Emirados (WAM).

"O desafio mais importante que enfrentamos agora é reconstruir a confiança nas relações econômicas internacionais. A chave para isso serão as reformas na OMC, incluindo a restauração do funcionamento efetivo do sistema de solução de controvérsias (DSB)", disse ele em uma entrevista por e-mail de Varsóvia.

Tomczak fez as observações no momento em que o MC13 visa a reformas fundamentais no sistema de comércio global, abrangendo desde a expansão da filiação à OMC até o fortalecimento dos mecanismos de resolução de disputas e a adoção de estruturas de comércio digital.

Em vez de limitar as reformas da OMC a questões processuais, Tomczak sugeriu que as questões substanciais deveriam ser abordadas. Ele citou as questões cruciais, como a criação de regras para limitar o uso de subsídios proibidos como parte de um consenso mais amplo, o que garantirá a igualdade de condições para todas as partes.

O vice-ministro insistiu que a OMC deve fortalecer sua função de monitoramento e deliberação, bem como seu papel como fórum de negociação para desenvolver regras novas e atualizadas sobre assuntos importantes.

O papel de liderança dos Emirados Árabes Unidos

Depois de organizar com sucesso a COP28, a Conferência do Clima da ONU em Dubai, em dezembro de 2023, os Emirados Árabes Unidos estão prontos para sediar a MC13, de 26 a 29 de fevereiro de 2024, em Abu Dhabi. A reunião ministerial da OMC reunirá representantes de 164 nações e blocos comerciais.

O polonês enfatizou que a Polônia está pronta para cooperar com os Emirados Árabes Unidos durante toda a conferência para buscar bons resultados. "A Polônia parabeniza e saúda o papel de liderança dos Emirados Árabes Unidos na facilitação do comércio global e na busca de novas formas de conectar o mundo por meio do comércio e dos investimentos", disse Tomczak.

Continua após a publicidade

MC13 abordará questões-chave

A reunião ministerial da OMC também tem como objetivo abordar desafios como a interrupção da cadeia de suprimentos, a inflação, o protecionismo e as mudanças climáticas. Além disso, a MC13 explorará maneiras de aumentar os investimentos em tecnologias comerciais para cadeias de suprimentos sustentáveis e resilientes.

Ao falar sobre essa agenda, o vice-ministro polonês afirmou que a Polônia apoia fortemente as questões ambientais e climáticas nas discussões da conferência. O comércio internacional pode desempenhar um papel positivo na mitigação das mudanças climáticas, acrescentou.

Subsídios à pesca, segurança alimentar, comércio eletrônico e facilitação de investimentos para o desenvolvimento do comércio são outros tópicos importantes, afirmou Tomczak.

Como a política comercial é um domínio exclusivo da União Europeia, a Polônia, como membro da UE, apoiará a Comissão Europeia em seus esforços para fortalecer a OMC como uma organização central e um sistema comercial multilateral e baseado em regras, afirmou.

Laços entre Polônia e Emirados Árabes Unidos

Continua após a publicidade

A Polônia aprimorou sua cooperação em comércio e investimentos com os Emirados Árabes Unidos nos últimos três anos, disse a autoridade polonesa.
"Estamos ansiosos para desenvolver ainda mais essa cooperação, especialmente no campo de investimentos, finanças, energia renovável e tecnologias avançadas", completou.

As visitas de alto nível entre os dois países, incluindo a visita do presidente polonês aos EAU duas vezes em 2023, primeiro em março e depois durante a COP28, ajudaram a fortalecer os laços, observou Tomczak.
"A MC13 trará a oportunidade de discussões bilaterais e multilaterais com os Emirados Árabes Unidos e outros para o benefício da Polônia, dos Emirados Árabes Unidos e de nossos outros parceiros", acrescentou. O polonês declarou ainda que os Acordos de Parceria Econômica Abrangente (CEPA) dos Emirados Árabes Unidos com os principais países são o melhor exemplo de suas metas ambiciosas para construir redes de livre comércio com parceiros globais.

Vale recordar que os Emirados Árabes Unidos iniciaram o CEPA em 2021, com o objetivo de estabelecer relações comerciais mais abertas, sustentáveis e mutuamente benéficas, removendo barreiras ao comércio de bens e serviços, simplificando os procedimentos alfandegários e agilizando as cadeias de suprimentos. Até agora, os EAU concluíram o CEPA com 11 países, como Índia, Indonésia, Israel, Turquia, Camboja, Coreia do Sul, Colômbia, Geórgia, Ilhas Maurício, Congo-Brazzaville e Costa Rica. Os primeiros cinco acordos já entraram em vigor.

Deixe seu comentário

Só para assinantes