IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

'Aprendi mais na falência do que ganhando dinheiro': 4 lições para se dar bem nos negócios mesmo após um fracasso

"Quebrar foi uma das experiências mais difíceis da minha vida", diz Roi Shlomo - Roi Shlomo
"Quebrar foi uma das experiências mais difíceis da minha vida", diz Roi Shlomo Imagem: Roi Shlomo

27/07/2019 11h43

É mais comum que empresários falem de suas conquistas do que de seus fracassos.

Para Roi Shlomo, porém, lembrar-se do dia em que perdeu tudo não é um problema.

"Quebrar foi uma das experiências mais difíceis da minha vida", ele diz à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC. Shlomo é fundador e diretor executivo da Kale Me Crazy, uma rede de comida saudável de Atlanta, nos EUA, lançada em 2013.

Como vários empresários bem sucedidos, ele começou pequeno, com um quiosque em um shopping center. Em 2006, ele conseguiu expandir, adquirindo mais 13 quiosques no mesmo local. Ganhou em um só mês US$ 300 mil - o suficiente para comprar uma casa nos EUA. Nunca imaginou que ganharia tanto em tão pouco tempo, tendo crescido em uma família sem muitos recursos econômicos.

"Me sentia invencível. Estava ansioso por dobrar ou triplicar meus lucros."

Empolgado, comprou um carro novo e investiu no setor imobiliário na Flórida. Foi morar em Las Vegas e fechou um contrato de aluguel para instalar uma loja de joias em 2007, logo antes do estouro da grande crise financeira de 2008.

A queda

"A coisa ficou feia rapidamente", diz Shlomo.

Seus investimentos perderam valor e ele teve problemas para pagar o aluguel. Como não sabia a dimensão da recessão, seguiu injetando dinheiro no empreendimento.

Em menos de um ano, perdeu todo o dinheiro que havia juntado e teve de pedir falência.

"Não posso culpar unicamente a crise. Também tomei algumas decisões comerciais equivocadas."

Para gerar receitas que lhe permitissem sobreviver, passou a limpar tapetes e a economizar onde pudesse.

Passados dois anos, um amigo lhe emprestou dinheiro, que, somado a sua poupança, ele usaria em uma nova empreitada.

Foi quando tornou-se o cofundador da Yogli Mogli, uma loja de venda de iogurte.

Em três anos, ele tinha 27 unidades - até vender a empresa para lançar-se em nova aventura.

Em 2013, ele então fundou a Kale me Crazy, uma rede de sucos e comida saudável.

Hoje tem 21 lojas em Atlanta e cinco em construção em outras cidades dos EUA.

Estas são as quatro lições que Shlomo aprendeu com sua experiência.

1. Proteja seu dinheiro

Ganhar dinheiro é excelente, mas também se deve saber protegê-lo.

Meu maior erro foi a pressa, em 2006, com que reinvesti o que eu havia ganhado com a esperança de receber mais recursos.

Para construir um negócio sólido, não é preciso começar pequeno, mas deve-se levar o tempo necessário para tomar decisões informadas.

Eu não reservei esse tempo para pensar. Se tivesse, poderia ter sido uma das pessoas a ganhar muito dinheiro na recessão, em vez de perder tudo.

Às vezes, a decisão correta é guardar seu dinheiro e esperar até que haja uma boa oportunidade.

2. Valorize o que você tem

Quebrar me ensinou a apreciar o dinheiro mais do que nunca.

Todos já ouvimos sobre as pessoas que ganham na loteria ou recebem uma herança e torram tudo. Quando não se está acostumado a ter dinheiro (justamente o que me ocorreu no início da carreira), é fácil tomar decisões equivocadas e terminar com as mãos vazias.

Embora sempre tenha sabido como ganhar dinheiro, nunca o valorizei realmente até perder tudo.

Aprenda com o meu erro: controle seus gastos e economize. Você se sentirá muito melhor quando puder ver um colchão de segurança na sua poupança.

3. Aprenda a calcular os riscos

Antes de assinar um contrato de aluguel, abrir uma loja ou fechar qualquer outro compromisso comercial, avalie o valor do seu negócio e determine que custos poderá suportar.

Quando assinei o contrato da minha joalheria, estava fascinado com a grande quantidade de pessoas e turistas que entravam na loja.

Achei que o alto volume de vendas me permitiria pagar o aluguel exorbitante, mas esse risco não valeu a pena. Nessa situação, o único que ganhava dinheiro era o proprietário do terreno.

Ao fim do dia, o volume de clientes e as vendas não importam. O único que importa é seu lucro líquido e quando realmente fica no seu bolso. Conheça seus números por dentro e por fora, e não se comprometa com nada se as contas não fecharem.

4. Leve o tempo necessário

Quando você está entusiasmado com uma ideia ou apaixonado por um espaço para uma loja, é difícil ser paciente e esperar que tudo se alinhe.

Porém, para que uma localização seja comercialmente exitosa, é necessário que múltiplos fatores cooperem entre si: o projeto da loja, que outros negócios há na vizinhança e até se o estacionamento é conveniente.

Ninguém gosta de perder dinheiro. É melhor levar o tempo necessário e se assegurar de que a localização é boa, além de se manter fiel a sua visão.

Ir à falência foi uma das experiências mais estressantes, dolorosas e enriquecedoras da minha vida. Mas não lamento a experiência, pois ela me ensinou o que eu precisava aprender para chegar onde estou neste momento.

Mais Economia