ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Brasil: Société Générale demitirá 1.180 funcionários com fim de Cacique e Pecúnia

Fabio Benedetti-Valentini e Cristiane Lucchesi

04/02/2015 18h24

(Bloomberg) -- O Société Générale SA, segundo maior banco da França, demitirá 1.180 trabalhadores no Brasil e economizará 200 milhões de euros (US$ 229 milhões) em fevereiro retirando-se do ramo de financiamento de consumo no país.

A empresa fechará as unidades Banco Cacique e Banco Pecúnia e focará suas atividades no Brasil no segmento corporate e nos clientes institucionais, informou em nota de sua assessoria de imprensa enviada por e-mail após pedidos de comentários na terça-feira. Com a decisão, 650 pessoas serão demitidas no Brasil em fevereiro e a redução totalizará cerca de 1.180 postos de trabalho após o período de transição, quando estiverem garantidas a conclusão das atividades de crédito ao consumidor e a venda do portfólio, informou o banco.

A expansão do Société Générale no país mais populoso da América do Sul ficou para trás em relação ao crescimento de concorrentes como o Banco Santander SA. O crescimento econômico vacilante do Brasil agora ameaça corroer mais os lucros dos bancos. As operações brasileiras do Société Générale representam menos de 1 por cento de sua receita global, mostra seu site.

O Société Générale caiu 2 por cento e estava em baixa de 1,6 por cento, a 37,04 euros, às 15 horas, nas negociações em Paris. O Société Générale caiu 12 por cento nos últimos 12 meses, contra um declínio de 0,5 por cento do STOXX 600 Banks Index, que tem 49 integrantes.

Retorno sobre patrimônio

"Apesar desse anúncio, nós continuamos positivos em relação à ação", escreveram os analistas Alex Koagne e Steven Gould, da Natixis SA em Paris, em uma nota a investidores na quarta-feira. Apesar de terem reduzido seu lucro por ação em 2014 em 2,8 por cento por causa do encargo brasileiro, os analistas classificam a ação como "compra", com um preço alvo de 46,70 euros.

O Société Générale está focando em seus principais mercados europeus e africanos e desde 2009 tem buscado alocar capital em negócios nos quais tem um "tamanho decisivo", informou no comunicado. No ano passado, o Société Générale vendeu seu negócio asiático de private-banking para a DBS Group Holdings Ltd.

O fechamento de seus negócios de financiamento de consumo no Brasil se somará ao retorno sobre o patrimônio do Société Générale ainda neste ano, sem que haja um impacto significativo no nível de capital do banco, informou a empresa. No ano passado, o Société Generale, que publicará os resultados anuais no dia 12 de fevereiro, estabeleceu a meta de aumentar o retorno sobre o patrimônio, um indicador-chave de lucratividade, para mais de 10 por cento até 2016. O retorno sobre patrimônio após impostos da empresa atingiu 6,8 por cento no terceiro trimestre, disse o banco no dia 6 de novembro.

As principais unidades locais do Société Générale no Brasil continuarão sendo o Banco Société Générale Brasil, o Société Générale Equipment Finance e a ALD Automotive, com uma equipe de cerca de 300 pessoas, disse um porta-voz da empresa.

O Société Générale tinha R$ 19,7 bilhões (US$ 7,3 bilhões) em ativos no Brasil em setembro, o 22o maior banco do país, segundo os dados mais recentes do Banco Central.

Título em inglês: SocGen to Dismiss 1,180 in Brazil, Take $229 Million Charge

Para entrar em contato com os repórteres: Fabio Benedetti-Valentini, em Paris, fabiobv@bloomberg.net; Cristiane Lucchesi, em São Paulo, clucchesi5@bloomberg.net.

Mais Economia