Bolsas

Câmbio

Cinco coisas que vão dar o que falar hoje

Lorcan Roche Kelly

(Bloomberg) - Hoje é dia de publicação de dados sobre emprego nos EUA, parece que o dólar sofrerá a maior queda semanal desde 2009 e começa o feriado na China. Eis alguns dos assuntos que vão dar o que falar nos mercados hoje.

Dados sobre emprego

A mediana das estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg é que a economia dos EUA adicionou 190.000 empregos em janeiro, mais de 100.000 a menos que em dezembro. Nas últimas semanas, os pedidos de subsídios por desemprego aumentaram, o que poderia explicar em parte o pessimismo das estimativas. Os analistas ficarão de olho nos relatórios de lucros que serão divulgados junto com os dados sobre emprego porque o aumento dos encargos trabalhistas nos EUA está começando a afetar os lucros corporativos. Os dados sobre emprego serão divulgados à 8h30, horário de Nova York.

Queda do dólar

O dólar dos EUA deve sofrer sua maior queda semanal desde 2009 e o Bloomberg Dollar Spot Index recuou 2,4 por cento nesta semana. A queda ocorre ao mesmo tempo em que Wall Street reduz sua previsão para a taxa do Fed e os futuros significam que as chances de que haja um aumento dos juros em 2016 agora são de 50 por cento. Os yields dos títulos do Tesouro de referência com vencimento em 10 anos permaneceram praticamente inalterados, a 1,84 por cento, nesta manhã.

Feriado na China

O Shanghai Composite Index fechou com uma baixa de 0,6 por cento, reduzindo os ganhos desta em semana a 1 por cento, no último pregão antes do feriado do ano-novo lunar, que dura uma semana. O banco central chinês aumentou a liquidez no sistema financeiro antes do descanso, injetando quatro vezes mais dinheiro que em 2015, levando as reservas de moeda estrangeira a uma queda recorde devido às intervenções para apoiar o yuan. Fora dos mercados, o feriado lunar significa que começou a maior migração humana anual do mundo, com 332 milhões de pessoas em trânsito, o que aumenta os gastos com tudo, dos preços da gasolina aos presentes.

Produção estável de petróleo

A crise dos preços do petróleo provocou diretamente uma queda anual de apenas 0,1 por cento na produção, porque a redução esperada, que iria gerar um aumento dos preços, não se materializou, pelo menos por enquanto. A persistência dos preços baixos está aumentando os temores em relação à economia como um todo, porque a diminuição da oferta mundial de petrodólares está começando a gerar circuitos de retorno negativo nos mercados emergentes. Um aumento do petróleo que não está sendo bem-recebido pelo Congresso dos EUA é a proposta do presidente Obama de um imposto de US$ 10 por barril de petróleo no plano orçamentário de 2017 para financiar iniciativas de transporte e climáticas. O West Texas Intermediate para entrega em março estava a US$ 31,81 por barril às 11h31, horário de Londres.

Debate

Bernie Sanders e Hillary Clinton se enfrentaram em um debate ontem à noite, antes da eleição primária em New Hampshire, onde Sanders tem uma liderança de 20 pontos nas pesquisas. Para Hillary, a maior dificuldade foi explicar seus vínculos com Wall Street e ela tentou revidar contra Sanders, chamando o ataque dele de 'mentira ardilosa'. A eleição primária em New Hampshire será realizada na terça-feira, dia 9 de fevereiro.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos