Bolsas

Câmbio

Presidente da Rolls-Royce terá grande desafio após reduzir queda

Benjamin Katz

(Bloomberg) -- O presidente da Rolls-Royce Holdings, Warren East, impressionou os investidores o suficiente para promover o maior aumento nas ações da fabricante de motores em 14 anos após encerrar uma sequência de alertas de lucros e reportar que a empresa em dificuldades mostra sinais de estabilização.

Na realidade, os maiores desafios do executivo ainda podem estar pela frente.

A Rolls-Royce se prepara para uma queda nos lucros neste ano e enfrenta o declínio dos mercados de navios de exploração offshore de petróleo, jatos regionais e aeronaves comerciais.

Nesse sentido, a empresa não pode fazer muito mais do que reduzir os custos de produção dos motores e esperar uma recuperação das vendas.

East alegrou os acionistas na sexta-feira ao reportar lucros para 2015 dentro do guidance da empresa e dizer que a perspectiva para este ano continua em curso.

O alívio por evitar um sexto alerta de lucro em dois anos foi suficiente para fazer as ações subirem 18 por cento mesmo depois de ele ter cortado o dividendo final para o ano passado em 50%.

"Se East puder reestruturar a empresa de forma bem-sucedida, deixando-a em forma para sua finalidade, pode haver uma tendência de alta", disse Steve Clayton, chefe de pesquisa de ações da Hargreaves Lansdown.

"Mas deve haver um temor de que isso demore tanto que quando se possa saber se funcionou o mercado da aviação civil terá virado para baixo".

Centenas de pedidos

A Rolls-Royce enfrenta os maiores desafios de engenharia de sua história.

A empresa com sede em Londres procura duplicar a faixa de produção de seu motor de avião Trent para atender centenas de pedidos para novos aviões, incluindo o Boeing 787 Dreamliner e o Airbus A350.

Isso aumentará os custos, mas não ampliará imediatamente os lucros, que estão mais ligados à receita com serviços, que começa a entrar quando as turbinas se tornam mais antigas.

Ao mesmo tempo, o mercado para alguns motores mais antigos, do qual Rolls-Royce tem dependido por causa do serviço de manutenção, começou a desaparecer.

East disse que a empresa não foi ágil o suficiente para responder à evolução da situação -- embora as medidas que ele implementou mostrem que isso está começando a mudar.

"Eu realmente sinto que estamos em um terreno mais firme", disse o presidente, que assumiu o cargo mais elevado da Rolls-Royce em julho, em uma teleconferência.

"A solução dos problemas é um programa de longo prazo. A maior parte deles passa muito rapidamente e sim, estamos sentindo mais confiança nisso, mas não, o trabalho não está terminado, de maneira nenhuma".

A Rolls-Royce manteve sua projeção de novembro de um impacto de 650 milhões de libras (US$ 943 milhões) nos lucros de 2016 porque as vendas de jatos corporativos para Rússia, Brasil e China e a demanda por turbinas marinhas foram atingidas pelo colapso das receitas com o petróleo.

A projeção estável "deveria ajudar a interromper a piora do sentimento", disse Sandy Morris, analista da Jefferies International, em uma nota.

O primeiro corte no dividendo anual da Rolls-Royce desde 1992 ajuda a Rolls-Royce a preservar caixa e a proteger sua classificação de crédito.

Os custos da reestruturação deste ano poderão atingir 100 milhões de libras, disse East, acrescentando que "mais reduções" serão necessárias após já ter cortado cerca de 50 dos 200 principais gerentes.

Ele também adotou uma visão mais clara em relação a quais partes da empresa marítima poderiam ser eliminadas.

East também disse que a empresa está focada na "execução e na transformação", e não na busca de parceiros, acrescentando que os montantes de dividendos reduzidos para uma efetiva "nova base" e o pagamento provavelmente não voltarão imediatamente ao seu antigo nível.

Com o corte de dividendo e outras medidas para reforçar a posição de caixa da Rolls-Royce não há um direito de preferência na subscrição de ações sendo preparado no momento, disse o diretor financeiro David Smith.

O último pagamento de 2015 será reduzido de 14,1 pence para 7,1 pence por ação e o pagamento provisório para este ano também será reduzido em 50 por cento. A empresa reavaliará os futuros pagamentos de dividendos em meados do ano.

O lucro básico do ano passado caiu 12% a taxas de câmbio constantes, para 1,43 bilhão de libras, e as vendas tiveram um declínio de 1%, para 13,4 bilhões de libras. O lucro da Rolls-Royce antes de impostos para 2015 ficou dentro de uma faixa projetada de 1,325 bilhão de libras a 1,475 bilhão de libras em novembro.

'Ano decisivo'

As ações da empresa chegaram a subir 627 pence e estavam em alta de 17%, em 618,5 pence, às 11h52 em Londres. Antes do comunicado de sexta-feira, o preço das ações da Rolls havia caído 7,8% neste ano e 39% desde que East assumiu, em julho.

"Precisamos adicionar ritmo e simplicidade a essa empresa", disse East durante uma apresentação a analistas. "O ano de 2016 será decisivo e começar bem é essencial".

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos