PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Aumento recorde no ferro com mercado "louco" com a China

Jasmine Ng e Jesse Riseborough

07/03/2016 14h36

(Bloomberg) - O minério de ferro teve um forte aumento depois que os responsáveis pela política econômica da China sinalizaram sua disposição de apoiar o crescimento econômico, aumentando as perspectivas para o consumo de aço do maior usuário do produto e inflamando a especulação de que alguns investidores que apostaram contra o mercado tinham perdido.

O minério com teor de 62% entregue a Qingdao saltou 19% para US$ 63,74 a tonelada seca, mostram dados de Metal Bulletin.

Esse é o maior ganho em dados diários desde 2009 e o preço mais alto desde junho. O aumento foi precedido na Ásia por um crescimento nos futuros, com o contrato mais ativo na Bolsa de Cingapura subindo 21% para US$ 60 e os preços no Dalian Commodity Exchange subindo no limite diário.

"Os mercados de minério de ferro e aço ficaram loucos - eles partiram dos fundamentos e estão fortemente impulsionados pelo sentimento", disse Zhao Chaoyue, analista da China Merchants Futures em Shenzhen, antes que o preço do Metal Bulletin fosse publicado.

"Os investidores estão esperando que uma maior flexibilização monetária do governo chinês impulsione a demanda de aço". Fortescue Metals Group da Austrália saltou 24% no pregão de Sidney, onde a Rio Tinto Group e a BHP Billiton também subiram depois do aumento dos preços futuros.

Os ganhos em Londres foram menores. A Rio Tinto, segunda maior empresa de mineração, se recuperou de uma queda anterior no pregão de Londres e subiu 5%, na maior alta em três meses, enquanto a BHP subiu 3,5% no mercado inglês.

Forte subida

O minério de ferro teve forte alta em 2016, com os preços do aço se fortalecendo, minando as previsões de mais perdas impulsionadas no aumento de fornecimento de baixo custo da Austrália e do Brasil e da queda da demanda na China.

No anual Congresso Nacional do Povo neste fim de semana, as autoridades disseram que permitem um déficit recorde e limite maior da oferta monetária para apoiar o crescimento entre 6,5% e 7%. Ao mesmo tempo, eles também prometeram ajudar a reduzir o excesso de capacidade em aço, reduzindo potencialmente a demanda por minério de ferro.

Recuperação de Commodities

A recuperação de minério de ferro este ano tem sido acompanhada por uma recuperação em outras commodities, incluindo petróleo, metais básicos, como cobre e aço.

Os esforços estatais para amortecer a perda da capacidade de siderurgia na China, inclusive ajudando pessoal demitido, podem melhorar as margens de lucro nas usinas que permanecem, reduzindo a concorrência.

Swaps ligados ao custo do transporte de minério de ferro também subiram. Acordos de frete antecipados com navios Capesize em abril aumentaram cerca de 21% a US$ 2.450 por dia, segundo dados da Clarkson Securities, parte do maior estaleiro do mundo.

As taxas subjacentes para as transportadoras estão em mínimos históricos, pois um excesso de navios compete por qualquer negócio que consigam obter.

Os ganhos recentes em minério de ferro provavelmente não vão durar, afirmou Goldman Sachs Group em um relatório na segunda-feira, prevendo uma queda de volta para US$ 35 por tonelada no último trimestre.

O aumento deste ano foi impulsionado pelo aumento dos preços do aço na China, uma inversão da relação normal vista entre a matéria-prima e o produto fabricado, disse Goldman.

"Vida curta"

"Esperamos que o aumento atual será de curta duração", afirmaram os analistas Christian Lelong e Amber Cai na nota, datada de 6 de março, prevendo maior crescimento no fornecimento de minério de ferro nos próximos trimestres.

"A causalidade vai se reverter mais cedo do que tarde, e as matérias-primas do aço voltarão a conduzir os preços do aço em vez do contrário".

Há também especulações que apontam que uma reviravolta no mercado imobiliário da China pode ajudar a apoiar a demanda por aço, auxiliando o minério de ferro.

O crescimento do preço das propriedades nas cidades chinesas deve começar a alimentar a economia real, levando a uma recuperação da atividade da construção e da demanda de metais, de acordo com Sanford C. Bernstein Co.