PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Disparada do preço do açúcar na UE estimula importações do Brasi

Isis Almeida

10/03/2016 14h28

(Bloomberg) -- A disparada dos preços do açúcar na União Europeia está estimulando importações do Nordeste do Brasil sob um sistema que permite entrada por tarifa alfandegária reduzida.

A corretora Sucres et Denrees SA reservou um navio para levar 30 mil toneladas do porto de Maceió até a Romênia, de acordo com dados da agência de transporte marítimo Williams Brazil. O navio Daiwan Wisdom foi o primeiro a aparecer nas reservas desde o início das especulações no mês passado sobre acordos para o envio do produto ao bloco.

A colheita na União Europeia foi a menor em mais de 40 anos e os preços de açúcar na região subiram mais de 10 por cento desde o início da temporada em outubro, afirmou Stefan Uhlenbrock, analista da F.O. Licht GmbH em Ratzeburg, na Alemanha.

A cotação na Europa Ocidental, de 550 euros (US$ 604) por tonelada, é 43% maior do que os contratos futuros negociados em Londres, segundo cálculos da agência de notícias Bloomberg em cima de dados da F.O. Licht.

"Os preços na União Europeia estão aumentando praticamente todo dia", disse Uhlenbrock por telefone. "A cota agora está atraente para produtores brasileiros do Norte, Nordeste, então espero que seja preenchida até o fim da temporada."

A União Europeia está importando açúcar do Nordeste brasileiro porque não conseguiu trazer nada na temporada passada, de acordo com dados da Comissão Europeia. O bloco vinha enfrentando escassez do produto neste ano e pode importar até 334.054 toneladas anuais da região a uma tarifa reduzida.

Sinais iniciais

Dados da comissão, que atua como braço regulatório do bloco, não mostraram pedidos em fevereiro para trazer açúcar sob a chamada cota CXL, com tarifa de 98 euros por tonelada, apesar das especulações sobre corretoras que estariam comprando açúcar para levar à Europa.

Segundo estimativas da F.O. Licht, a produção de açúcar na União Europeia vai cair para 13,6 milhões de toneladas na temporada 2015-16, que termina em setembro, a menor desde 1971.

A comissão precisa tomar providências para expandir a oferta e evitar falta do produto, declarou no mês passado o Comitê de Usuários de Açúcar da Europa, que representa mais de 15 mil empresas.

Autoridades da União Europeia se reuniram com representantes do setor de açúcar na semana passada para discutir uma possível escassez de abastecimento se as importações ficarem abaixo da previsão do bloco, disseram pessoas presentes no encontro. Segundo elas, a comissão informou aos representantes que a região pode trazer 150 mil toneladas a menos do que o previsto.

O preenchimento das cotas de importação a uma tarifa reduzida seria uma melhora em relação ao que ocorreu um ano atrás, mas os embarques de países com acesso preferencial ao mercado da União Europeia estão ficando"significativamente" atrás do ritmo do ano passado e não devem mudar durante o resto da temporada, afirmou Uhlenbrock.