PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cinco coisas que vão dar o que falar hoje

Lorcan Roche Kelly

14/03/2016 10h28

(Bloomberg) -Uma promessa de apoio fez com que as bolsas da China se recuperassem, o petróleo caiu por causa do aumento da produção do Irã e esta semana será muito importante para os bancos centrais. Eis alguns dos assuntos que estão dando o que falar hoje.

Estímulo chinês

O Shanghai Composite Index, da China, se livrou dos números de produção fabril mais fracos desde 2009 e fechou com uma alta de 1,8 por cento, o maior avanço em uma semana. A recuperação ocorreu depois que o novo diretor do órgão regulador das ações sinalizou que continuará respaldando o mercado acionário. Mesmo que os otimistas com o mercado de ações chinês tenham motivos para comemorar, os pessimistas em relação ao yuan estão lambendo suas feridas porque as apostas de que a moeda continuaria caindo depois da desvalorização surpresa não estão compensando. Pelo menos US$ 562 milhões de opções que pagam se a moeda cair para menos de 6,6 por dólar expiraram sem valor desde então, e outros US$ 807 milhões vencerão nos próximos três meses.

Aumento da produção de petróleo do Irã

O Irã pretende elevar a produção para 4 milhões de barris por dia, um aumento de 33 por cento em relação à produção de fevereiro, antes de aderir a outros fornecedores na tentativa de equilibrar o mercado mundial de petróleo. O West Texas Intermediate para entrega em abril recuava 73 centavos de dólar, para US$ 37,77 por barril, na New York Mercantile Exchange às 9h55, horário de Londres. Enquanto o Irã promete extrair mais petróleo, a produção deve continuar diminuindo nos EUA. A Administração de Informação de Energia dos EUA (EIA, na sigla em inglês) prevê uma queda de 8,19 milhões de barris por dia na produção do ano que vem, provocando mais apostas em um aumento dos preços.

Eleições regionais na Alemanha

O apoio à União Democrata Cristã, de Angela Merkel, diminuiu nas três eleições regionais realizadas no domingo e o partido Alternativa para a Alemanha (Afd, na sigla em alemão), que se opõe à imigração, teve seu melhor resultado nas urnas até o momento. O Partido Verde, que apoia a posição de Merkel em relação à imigração, venceu em Baden-Württemberg, a primeira vitória indiscutível desse partido em uma eleição regional. O mercado não parece preocupado com o resultado da votação e o DAX Index subiu para mais de 10.000 nesta manhã.

Brasil

De acordo com algumas estimativas, mais de 3 milhões de pessoas foram às ruas do Brasil ontem para protestar contra os escândalos políticos e a recessão atual do país. A pressão sobre a presidente Dilma Rousseff está aumentando e ela poderia perder o apoio do maior partido da base governista depois que no fim de semana uma moção na convenção do PMDB definiu um prazo de 30 dias para que o partido reavalie sua aliança com o governo dela.

Bancos centrais

Esta semana será muito importante para os bancos centrais. O Banco do Japão anunciará amanhã suas últimas decisões sobre a política monetária e os analistas não esperam mudanças depois da decisão surpreendente, em janeiro, de adotar juros negativos. Na quarta-feira, o Federal Reserve fará uma reunião sobre a política econômica e embora apenas três dos 90 economistas consultados pela Bloomberg esperam o anúncio de uma taxa mais alta, as expectativas baseadas no mercado mostram uma probabilidade de 50 por cento de que haja um aumento até junho. Na quinta-feira, tanto o Banco da Inglaterra quanto o Banco Nacional Suíço divulgarão suas mais recentes decisões para a política econômica.