PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Pimco aposta em alta do rendimento dos títulos do Tesouro americano

Wes Goodman

15/03/2016 15h01

(Bloomberg) -- A Pacific Investment Management Co. diz que o rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA com prazo de 10 anos subirá neste ano à medida em que a inflação se acelera e o Federal Reserve (Fed) eleva a taxa básica de juros.

O rendimento do papel com vencimento em 10 anos aumentará de 1,94 por cento nesta terça-feira para uma faixa de 2 por cento a 2,5 por cento, de acordo com um e-mail de Mark Kiesel, gerente de fundos da Pimco. Os investidores estão intensificando as apostas de que o Fed elevará as taxas de juros em 2016, uma vez que um indicador de expectativas de inflação para os próximos 12 meses chegou ao maior nível em quase um ano. A autoridade monetária manterá a taxa de referência inalterada ao final da reunião de dois dias que começa nesta terça-feira, segundo uma pesquisa da Bloomberg com economistas.

"Projetamos um ou dois aumentos dos juros neste ano pelo Fed, mas o mercado espera apenas um", escreveu Kiesel, que trabalha em Newport Beach, na Califórnia, e é um dos três gestores do Total Return Fund, com US$ 87,8 bilhões em ativos. "Se as taxas apontassem para 2,5 por cento, estaríamos acrescentando apostas nesse patamar".

O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA com vencimento em 10 anos recuava dois pontos-base, ou 0,02 ponto percentual, às 9h35 em Londres, segundo dados da Bloomberg Bond Trader. A nota com cupom de 1,625 por cento e vencimento em fevereiro de 2026 avançava US$ 2,19 por US$ 1.000 de valor de face. Na segunda-feira, o rendimento do papel subiu para 1,98 por cento, o mais alto desde janeiro.

Probabilidades

A probabilidade de que o Fed aumente as taxas de juros neste ano pulou para 78 por cento, o patamar mais elevado em dois meses, segundo contratos futuros, porque a maior economia do mundo está dando sinais de melhora. Em fevereiro, foram gerados mais empregos nos EUA do que previam os analistas e a queda da atividade manufatureira ficou mais branda, com base em relatórios publicados neste mês. A inflação provavelmente se aproximará da meta de 2 por cento do Fed em 2016, escreveu Kiesel. A diferença entre os rendimentos da dívida com vencimento em um ano e os dos títulos do Tesouro dos EUA protegidos contra inflação com prazo similar -- um indicador das expectativas para os preços ao consumidor durante a vigência da dívida -- era de 172 pontos-base, comparado a 179 na segunda-feira, patamar mais alto desde abril de 2015.

A autoridade monetária poderá aproveitar a reunião desta semana para atualizar a perspectiva para as taxas após ter indicado em dezembro que realizaria quatro aumentos de 0,25 ponto percentual em 2016. Apenas cinco dos 72 economistas consultados pela Bloomberg projetam que o banco central chegará tão longe.

Espera

O Fed provavelmente vai esperar até que os salários comecem a aumentar para elevar os juros de novo, disse Hans Goetti, o estrategista-chefe do Banque Internationale à Luxembourg para o Oriente Médio e a Ásia, que administra US$ 36,4 bilhões.

O rendimento dos papéis com vencimento em 10 anos provavelmente ficará na faixa de 1,6 por cento a 2 por cento neste ano, conservando assim seu atrativo como porto seguro, disse ele.

A previsão de consenso entre os economistas consultados pela Bloomberg é que o rendimento vai subir. A nota com vencimento em 10 anos estará rendendo 2,3 por cento em 31 de dezembro, com base nas respostas, com um maior peso para as previsões mais recentes.