PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Querendo alcance global, argentino Puente planeja IPO em 2017

Carolina Millan

17/03/2016 15h22

(Bloomberg) -- O Puente, instituição argentina que engloba um banco de investimento e uma corretora, busca expandir seu alcance internacional com uma abertura de capital em 2017.

Com plano de vender uma participação de cerca de 20 por cento por meio da IPO, o Puente pode analisar a realização da oferta em Londres ou Nova York, disseram representantes na quarta-feira. O Puente anunciou também que Emilio Ilac se tornará o novo CEO, e que seu antecessor, Federico Tomasevich, assumirá o papel de presidente global do conselho.

"Nos próximos três ou quatro anos, a Argentina será a estrela dos mercados emergentes, o que naturalmente se refletirá no Paraguai e no Uruguai, por isso queremos consolidar o foco nesses países", disse Ilac, em entrevista. "Estamos vendo o apetite pela Argentina crescer de forma bastante agressiva na Ásia e no Oriente Médio e queremos ser o principal canal de investimento institucional no Cone Sul".

O Puente quer aproveitar o aumento do interesse dos investidores pela Argentina após a eleição de Mauricio Macri, o presidente favorável aos mercados que, em seus primeiros três meses no cargo, eliminou controles cambiais, cancelou a maior parte dos impostos às exportações e fechou um acordo histórico com os credores holdouts que restavam do calote de 2001.

Ilac também disse que espera um número elevado de operações de finanças corporativas neste ano, incluindo fusões e aquisições e emissão de dívidas, depois que a disputa de uma década com os credores for resolvida. Tomasevich disse a repórteres que, nos próximos 30 dias, o Puente anunciará um empreendimento estratégico com um parceiro internacional.

Ilac, que sobe na hierarquia deixando para trás o cargo de codiretor de vendas e trading, entrou no Puente em 2009 como assistente da mesa de operações para clientes institucionais.

A instituição com sede em Buenos Aires tem escritórios no Paraguai, no Uruguai, no Panamá e em Londres. Nos últimos 12 meses, o Puente fechou transações de investment banking avaliadas em mais de US$ 2,5 bilhões e gerenciou um volume de negociações de US$ 15 bilhões. A unidade de gestão de fortunas administra US$ 3 bilhões, disse Tomasevich.

"A atividade de investment banking na região vinha sendo em grande parte liderada por bancos internacionais", disse Ilac. "Nós consideramos que há um enorme potencial de crescimento em investment banking na região e pretendemos ser líderes nesta área".