PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Traders apostam em queda da libra com proximidade de referendo

Anooja Debnath

24/03/2016 16h43

(Bloomberg) --- Enquanto o Reino Unido reflete seu futuro na União Europeia, os investidores estão apostando uma quantidade quase do tamanho da economia da Islândia que a libra esterlina cairá para níveis vistos pela última vez na década de 1980.

Pelo menos 11 bilhões de libras (US$ 16 bilhões) foram apostados neste ano em opções que dariam lucro se a libra caísse para pelo menos US$ 1,3502, ou abaixo disso, uma queda de 4,5 por cento em relação à cotação atual, depois do referendo no dia 23 de junho. Mais de metade das posições foram colocadas desde que a votação foi marcada no dia 20 de fevereiro.

Os números apontam para o que está em jogo enquanto os investidores ponderam a possibilidade de o Reino Unido abandonar o maior mercado único do mundo, que responde por cerca de metade das importações e exportações do país. Apesar de as pesquisas de opinião não mostrarem uma liderança clara para nenhum dos lados, a perspectiva de uma 'Brexit' tem feito com que a libra caia mais que qualquer outra moeda de importância frente ao dólar neste ano.

"Há um prêmio de risco na libra, tanto na taxa à vista quanto no mercado de volatilidade, mas este é um desses acontecimentos onde não há forma de regular quão grande deveria ser", disse Paul Meggyesi, estrategista cambial do JPMorgan Chase em Londres. "Poucos investidores acreditam que a libra tenha caído para níveis onde a recompensa pelo risco favoreça a compra".

Estimativas

Uma queda para US$ 1,3502 levaria a moeda britânica ao patamar mais baixo desde 1985. Os traders estimam 54 por cento de probabilidade de que a libra atinja essa cotação até o dia do plebiscito, segundo o calculador de opções da Bloomberg.

Meggyesi projeta que a libra caia para US$ 1,38 em meados do ano, frente a US$ 1,4145 até 16h45, horário de Londres, de quinta-feira.

Mesmo as previsões de uma queda para esses níveis poderiam ser otimistas se o Reino Unido acabar de fato saindo da UE.

Se uma votação a favor de abandonar a UE resultasse um divórcio "desordenado" da Europa, a economia do Reino Unido provavelmente entraria em uma recessão e a libra cairia para cerca de US$ 1,15 por volta do final do ano, escreveu Nick Kounis, diretor de pesquisa macroeconômica do ABN Amro Bank em Amsterdã, em uma nota.

Sem arriscar a sorte

Os investidores têm intensificado as apostas em um enfraquecimento da libra nos últimos trinta dias. Dos 11 bilhões de libras em circulação, 6,5 bilhões foram posicionados desde que a data do plebiscito foi marcada no dia 20 de fevereiro, mostram dados da Depository Trust & Clearing Corp.

Para muitos, não há nada a temer por abandonar a Europa. O prefeito de Londres, Boris Johnson, disse na quarta-feira aos legisladores que o setor financeiro da capital "floresceria poderosamente" se o Reino Unido saísse da UE, e disse que o apoio a ficar é "superficial" entre os líderes empresariais.

Uma pesquisa de opinião da ITV Plc e a ComRes realizada de 18 a 20 de março mostrou que 48 por cento dos consultados apoiava permanecer na UE e 41 por cento dizia que votaria em abandoná-la. Uma pesquisa da ICM feita nos mesmos dias mostrava 43 por cento de apoio à saída e 41 por cento, pela permanência.