PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Hedge funds invadem mercado de títulos do Tesouro dos EUA

Liz Capo McCormick e Alexandra Scaggs

28/03/2016 16h04

(Bloomberg) -- Hedge funds estão lotando o mercado de títulos do Tesouro dos EUA, o que faz com que os traders de bonds se preparem para mais turbulência.

Embora o Federal Reserve não especifique a posse por parte de hedge funds, um grupo considerado representante deles aumentou seus ativos para o recorde de US$ 1,27 trilhão nos últimos doze meses, segundo um relatório trimestral publicado neste mês pelo banco central. O aumento ocorreu porque bancos centrais e ministérios das Finanças estrangeiros cortaram investimentos pela primeira vez desde 2000 em bases anuais.

O crescimento veloz no número de hedge funds com dívida do governo americano é um sinal preocupante para o Société Générale e o Commerzbank.

Eles dizem que as empresas, que muitas vezes utilizam dinheiro emprestado e entram e saem de operações a qualquer momento, aumentarão as chances de que ocorram choques repentinos no que é na pratica o mercado de refúgio do mundo.

Isso poderia aumentar as oscilações nos títulos do Tesouro dos EUA, que segundo algumas medições, alcançaram recordes porque a preocupação com a China, a economia global e a divergência entre as políticas dos bancos centrais estão prejudicando os traders de bonds. O Departamento do Tesouro já está analisando se o mercado não está funcionando tão tranquilamente quanto deveria.

Categorização

Nos relatórios trimestrais do Fed, os hedge funds domésticos são incluídos na categoria "famílias e organizações sem fins lucrativos". A maioria dos analistas considera essa categoria um indicador preciso do número de títulos do Tesouro em poder dessas empresas poderosas, e em menor medida, com famílias e outros grupos como empresas de private-equity e trusts. Os últimos dados, publicados no dia 10 de março, mostraram que eles foram os maiores compradores de títulos do Tesouro no ano passado, com um acréscimo de US$ 398 bilhões, o maior em base anual desde 2009.

Ao mesmo tempo, os investidores estrangeiros, que ainda possuem 40 por cento dos bonds dos EUA, foram os únicos vendedores líquidos em 2015, já que os bancos centrais na China e em outros mercados emergentes levantaram capital para dar suporte a suas moedas. E números do Departamento do Tesouro mostraram que eles continuaram vendendo no começo do ano.

O crescimento das posses por hedge funds já poderia estar piorando as flutuações dos títulos do Tesouro. Neste ano, as oscilações diárias nos yields para as notas com vencimento em dez anos superaram um desvio padrão - equivalente a 0,043 ponto percentual - cerca de 39 por cento das vezes, segundo a TD Securities. Isso supera o número do ano passado, de 34 por cento, que foi o mais alto para um ano de 1975 para cá, mostram os dados.

"É provável que isto acrescente volatilidade", disse Bruno Braizinha, estrategista de renda fixa do SocGen em Nova York.

Revisão

A preocupação com oscilações abruptas, seja por causa da falta de liquidez, seja por um aumento no número de traders com grandes volumes, já chamou a atenção do governo americano. Impelido pelo afundamento e a subsequente recuperação dos yields em doze minutos no dia 15 de outubro de 2014, o Departamento do Tesouro está realizando a primeira revisão integral da estrutura do mercado desde 1998.

Ao intervirem para tomar o lugar dos bancos tradicionais de Wall Street, pressionados por regulações e mudanças tecnológicas, na verdade os hedge funds poderiam aumentar a liquidez. E o fato de eles usarem alavancagem, ou dinheiro emprestado, implica que têm os recursos para operar grandes quantidades de títulos.

Pelo menos essa é a visão da Ronin Capital, empresa de proprietary trading com sede em Chicago. Quando as autoridades dos EUA pediram comentários sobre a liquidez e a estrutura do mercado neste ano, a empresa escreveu em uma carta datada do dia 19 de março que "a alavancagem e a liquidez no mercado de títulos do Tesouro americano vão de mãos dadas".

Mesmo que os hedge funds forneçam mais liquidez, isso não necessariamente garante que a viagem não será acidentada. Isso porque enquanto operadores tradicionais muitas vezes serviram como contenção para os clientes em períodos de estresse, os hedge funds não têm um incentivo semelhante.

Quando a volatilidade aumentar, os hedge funds podem "pular para outro barco", disse David Schnautz, estrategista de taxas do Commerzbank em Londres.

Título em inglês: Hedge Fund Invasion of U.S. Treasuries Puts Bond Traders at Risk

--Com a colaboração de Susanne Walker Barton Para entrar em contato com os repórteres: Liz Capo McCormick em Nova York, emccormick7@bloomberg.net, Alexandra Scaggs em Nova York, ascaggs@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.