Cinco assuntos que vão dar o que falar hoje

Lorcan Roche Kelly

(Bloomberg) -- As ações chinesas caíram, mais um fabricante de veículos foi envolvido em um escândalo e Trump e Clinton ganharam em Nova York. Esses são alguns dos assuntos que vão dar o que falar nos mercados hoje.

Ações em queda

O índice Shanghai Composite da China sofreu a maior queda em quase dois meses e fechou com recuo de 2,3 por cento, tendo chegado a cair 4,5 por cento durante o pregão sem notícias importantes que impulsionassem a queda. O índice MSCI Asia Pacific quase não apresentou alterações, com pequenos ganhos no Japão, onde o índice Topix fechou com alta de 0,2 por cento.

Fim da greve no Kuwait

Os trabalhadores do setor petroleiro do Kuwait disseram que vão terminar uma greve de três dias que diminuiu muito a produção de petróleo bruto do quarto maior produtor da Opep. Os futuros do petróleo chegaram a cair 3 por cento em Nova York após o anúncio e recuavam 2,3 por cento, para US$ 40,12 por barril, às 10h39, horário de Londres. Outro fator de pressão sobre os preços são as notícias de que a Rússia poderia impulsionar a produção e as exportações após o fracasso das negociações em Doha.

Mitsubishi admite manipulação de dados

A Mitsubishi Motors se tornou a última fabricante automotiva obrigada a admitir que manipulou testes de veículos, neste caso para melhorar suas afirmações sobre economia de combustível. A empresa disse em um comunicado que 625.000 veículos foram envolvidos, entre eles modelos fornecidos à Nissan Motor, que descobriu a manipulação. As ações da Mitsubishi caíram 15 por cento no pregão de Tóquio. Em outras notícias corporativas de hoje, a Comissão Europeia enviou ao Google uma queixa antitruste formal pela forma em que a empresa lida com fabricantes de smartphones.

Argentina abre as portas de mercados emergentes

A Argentina aumentou sua oferta de títulos para US$ 16,5 bilhões ontem porque a demanda superou amplamente a oferta, com um rali dos papéis no começo do pregão do mercado paralelo. O sucesso da Argentina está abrindo as portas para os emissores com nota de grau especulativo em países em desenvolvimento, no que o Goldman Sachs está chamando de as melhores condições de financiamento para mercados emergentes desde 2012. Nos mercados desenvolvidos, com os yields tão baixos, as coisas são diferentes, já que os chefes de gestão de dívidas estão tendo que ser criativos para atrair os bancos para suas ofertas.

Vitória de Trump e Clinton em Nova York

Hillary Clinton e Donald Trump ganharam as eleições primárias de Nova York. Os resultados colocam tanto Hillary quanto Trump na dianteira da corrida para a nomeação a candidato presidencial de seus respectivos partidos. O principal adversário de Donald Trump para a nomeação do Partido Republicano, o senador Ted Cruz, sofreu uma derrota esmagadora que o deixou sem chances de conseguir o número de delegados necessário para evitar uma convenção aberta.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos