Bolsas

Câmbio

Toyota avança com carros híbridos na China mesmo sem subsídio

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A Toyota Motor, maior fabricante de automóveis movidos a gasolina e a eletricidade, levará adiante sua estratégia de produzir e vender modelos híbridos na China, apesar da falta de disposição do governo para subsidiar a tecnologia.

A fabricante de automóveis japonesa quer levar uma versão híbrida de seu SUV RAV4 ao mercado na China o mais brevemente possível, disse Matsumoto Shinichi, vice-presidente-executivo da unidade local de engenharia e fabricação da Toyota. A empresa planeja tornar locais o desenvolvimento e a produção dos SUVs híbridos no maior mercado automotivo do mundo após lançar os carros compactos híbridos Corolla e Levin no fim do ano passado.

Após oferecer subsídios que atingiram 114.000 yuans (US$ 17.500) por unidade do chamado veículo altamente eletrificado e isentar a categoria das restrições às licenças nas grandes cidades, a China esnobou a tecnologia que a Toyota e seus pares japoneses tornaram popular em seu mercado doméstico. O governo da China está disposto a proteger seus fabricantes locais e a incentivá-los a superar os concorrentes internacionais atingindo o sucesso no mercado popular com veículos elétricos.

"A pré-condição é que não temos nenhum incentivo -- nenhum apoio --, mas mesmo assim os clientes ainda querem escolher nossos carros", disse Shinichi em entrevista concedida no domingo, antes da abertura do maior salão automotivo da China, nesta semana, em Pequim. "Precisamos desenvolver carros que atendam essa expectativa. Não se trata apenas do mercado chinês -- não podemos esperar que os incentivos do governo continuem para sempre".

Vendas de híbridos

Até o momento, os híbridos Corolla e Levin fazem sucesso mesmo sem subsídios. A Toyota recebeu encomendas para cerca de 40.000 unidades. Suas fábricas não foram capazes de atender esse nível de demanda e fabricaram cerca de 30.000 unidades desde o ano passado. As versões híbridas plug-in dos dois modelos começarão a ser vendidas na China a partir de 2018.

Apesar do banho de água fria do governo chinês sobre os híbridos convencionais adotados no mercado japonês, no ano passado pela primeira vez a Toyota, a Nissan e a Honda venderam 1 milhão de veículos cada na China.

Três anos antes, as três maiores fabricantes de automóveis do Japão sofreram um declínio anual nas vendas porque uma disputa territorial com a China provocou uma reação dos consumidores. O confronto ajudou a ampliar o abismo entre as fabricantes do Japão e a General Motors e a Volkswagen, que venderam, cada uma, mais de 3,5 milhões de veículos na China no ano passado.

Ganhando impulso

Atualmente a Toyota está ganhando impulso após a venda recorde de 1,1 milhão de veículos em 2015. As vendas deram um salto de 28 por cento, para cerca de 291.000 unidades, durante os três primeiros meses deste ano.

A fabricante de automóveis planeja impulsionar a capacidade de produção local em cerca de 5,6 por cento a curto prazo, para 1,13 milhão de unidades, adicionando a montagem de um novo modelo em cada uma das duas fábricas administradas por joint ventures com a China FAW Group e com a Guangzhou Automobile Group até meados de 2018. A Toyota começará a produzir o SUV compacto C-HR localmente no mesmo ano, disse Hiroji Onishi, responsável pela empresa na China, a repórteres no domingo.

As vendas de híbridos da Toyota poderiam ser ainda maiores se a China tivesse incluído a tecnologia na lista de incentivos e isenções para licenças e restrições de trânsito.

David Yang, 34, teria comprado o Toyota Levin híbrido se o carro se qualificasse para uma licença em Pequim. Sob o sistema atual, os carros elétricos são colocados em uma categoria separada e proporcionam chances muito maiores de obtenção da licença de propriedade.

"Os híbridos têm algum combustível, mas não podem ser classificados como veículos de novas energias aqui de forma que se possa conseguir as placas veiculares sem a necessidade de leilão", disse Yang em uma concessionária da Toyota em Pequim. "Eu teria comprado o Levin híbrido se não fosse pela questão da placa".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos